quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Relator do mensalão condena José Dirceu por corrupção ativa

Brasília - O relator do processo do mensalão  no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, votou pela condenação por corrupção ativa do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, do ex-presidente do PT José Genoino, do ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares, do publicitário Marcos Valério e de outros cinco réus. Ele absolveu apenas o ex-ministro dos Transportes Anderson Adauto e a ex-funcionário de Valério, Geiza Dias, descrita como "mequetrefe" por sua defesa. Agora, o ministro revisor, Ricardo Lewandowski, começou seu voto.

Barbosa concordou com a acusação do Ministério Público de que Dirceu ocupava posição de liderança no esquema. "José Dirceu mantinha influência superlativa sobre os corréus", afirmou. "Ele detinha o domínio final dos fatos, em razão do elevadíssimo cargo atuava em reuniões fechadas, jantares, encontros secretos, exercendo comando e dando garantia ao esquema criminoso".

Ele descreveu que Marcos Valério e Delúbio Soares atuavam como operadores do esquema. O ex-presidente do PT, José Genoino, foi condenado por ter atuado na corrupção do PP e do PTB. Barbosa considerou ainda que Cristiano Paz e Ramon Hollerbach, ex-sócios de Valério, também participaram da corrupção ativa. Condenou ainda Simone Vasconcellos, ex-diretora financeira da agência SMP&B, e Rogério Tolentino, ex-advogado de Valério.
O relator absolveu Geiza Dias dizendo se "curvar" ao entendimento da corte de que ela não atuava de forma consciente no esquema. Entendeu ainda que apesar de Anderson Adauto ter aconselhado o ex-deputado Romeu Queiroz (PTB) a procurar Delúbio não há como inferir que isso tenha sido suficiente para a prática da corrupção.
Fonte: Exame

0 comentários:

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.