sexta-feira, 20 de maio de 2016

Saúde de Maricá vive caos e Quaquá vai à Bolívia falar de golpe no Brasil

Marcelo Bessa :: Editorial - Mesmo a cidade de Maricá pegando fogo, com uma enorme crise na saúde, com postos de atendimento inacabados, hospital sucateado e salários de funcionários atrasados, o prefeito de Maricá, Washington Quaquá (PT), foi à Bolívia para participar do X Congresso Latino-americano de Cidades e Governos Locais, que começou nesta quinta (19). Na mesa de debates, Quaquá, que também é presidente do PT no Rio, aproveitou para falar contra o afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT).

Washington Quaquá (à direita) aperta a mão do presidente boliviano, Evo Morales"Infelizmente, meu país vive uma situação política anômala, fruto de um golpe civil de novo tipo, como aconteceu no Paraguai, onde um vice-presidente ilegitimamente assume o governo depois de um processo conduzido por um deliquente que ocupava a cadeira de presidente da Câmara dos Deputados", disse ele.

Em fotos postadas no Facebook, Quaquá aparece apertando a mão do presidente da Bolívia, Evo Morales, vestido com um poncho.

Aliás, nunca um prefeito de Maricá viajou tanto. Desde que assumiu a prefeitura em 2009, Quaquá já visitou diversos de países, entre os quais Cuba, Itália e França, segundo ele, a negócios de interesse do município. Entretanto, até agora, quase ao término de seu segundo mandato, não mostrou nenhum resultado a não ser promessas.

Enquanto isso, a população de Maricá sofre com tantas mentiras e descasos.



2 comentários:

fernando cesar da silva brum Brum disse...

Vai espera o que de um comunista! eles governam para eles, o POVO e apenas um detalhe..

Anônimo disse...

O Prefeito viaja e falta atendimento nos Hospitais, ele está viajando com o dinheiro dele? E os vereadores apoiaram isso?
O que os veriadores bonecos fazem?

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.