sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Secretário-geral do PT cobra investigação sobre Quaquá

BRASÍLIA — Secretário-geral do PT e candidato a presidente nacional do partido, o deputado Paulo Teixeira (SP) cobrou, nesta quinta-feira, que o diretório regional do Rio investigue se o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, estaria usando a máquina da prefeitura para comprar votos e se eleger presidente estadual do partido, em novembro. Conforme revelou O GLOBO no domingo, Quaquá nomeou, desde abril, 78 filiados do PT de fora da cidade para cargos de confiança em sua administração, além de 54 petistas do próprio município, segundo cruzamento feito entre o Jornal Oficial de Maricá e os registros de filiação partidária do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Paulo Teixeira cobrou investigação
sobre o prefeito de Maricá
— É uma denúncia grave que o diretório estadual tem que apurar. Temos que ter um padrão disciplinar e exigir atitudes — afirmou Teixeira, que é da Mensagem ao Partido, a mesma corrente interna do presidente do diretório regional, Jorge Florêncio, candidato à reeleição.

A Executiva regional do PT se reúne na próxima segunda-feira e deve discutir o assunto. Parte dos militantes nomeados por Quaquá é de cidades próximas, como São Gonçalo, mas há petistas, por exemplo, de Laje do Muriaé, que fica a 300 km de Maricá; e de Itatiaia, a 220 km de distância. De quatro filiados ao PT provenientes de outras cidades procurados pelo GLOBO, três não são conhecidos no local de trabalho em que estão lotados.

Para Teixeira, há um racha na corrente majoritária do PT, a Construindo um Novo Brasil (CNB), que tem dois candidatos a presidente do diretório regional do Rio: Quaquá e a deputada federal Benedita da Silva.

— Há uma disputa dentro da CNB — disse Teixeira.

Presidente nacional do PT e candidato à reeleição, Rui Falcão não quis se pronunciar, até o momento, sobre a suposta compra de votos por parte do prefeito de Maricá. Já o prefeito afirmou que os militantes do PT nomeados para cargos de confiança em sua administração foram escolhidos por sua experiência profissional e que todos eles cumprem expediente. Dizendo-se “avesso a gabinetes”, o prefeito afirmou que alguns deles não são conhecidos no local em que estão lotados porque trabalham na rua. E para Quaquá, a estrutura da prefeitura, com 30 secretarias e 92 subsecretarias, não é inchada. Ele afirmou ser contra o “Estado mínimo”. Quaquá disse ainda ser vítima de fogo amigo, atribuindo as acusações a um grupo de dirigentes do PT fluminense que estaria interessado em boicotar sua candidatura à presidência do partido.

Fonte: O Globo

2 comentários:

Fernando Ricardo disse...

Não basta focar nas eleições internas. Desde 2009 que a operação de cooptar aliados por todo o Estado está em marcha. Foram 1000 novos cargos em maio de 2009 e agora em 2013, 1666. É a apropriação do dinheiro público para garantir poder. É o único projeto do PT para o Brasil. Tudo que fazem é para garantir a permanência deles nos cargos, Brasil a fora.

Anônimo disse...

Coitadinho! vive se fazendo de vítima como sempre. E para quem não sabe, até o genro do Lula e sua filha Lurian estão mamando nas tetas da PMM. O genro é lotado na Secretaria de Turismo. Até quando o povo vai sofrer com o PT no poder? Os cargos comissionados são obrigados a se filiarem no partiddo, senão rua, demissão quero dizer. E o povo gostaria de saber, porque tantos veículos da pmm com placas de Belo Horizonte, só a secretaria de turismo possui quatro , onde um só é de serventia para levar material de construção para a casa do secretário de turismo. Será que estes veículos passaram por licitações? Ficam muitas dúvidas no ar que o povo quer saber.

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.