terça-feira, 20 de novembro de 2012

A magia dos gazeteiros

Por Luiz Gadelha / Território Livre - O PT cada vez mais esquece que é um partido político para se tornar, com seus aliados, mais uma corporação política. Não é nada diferente daquelas que assolaram as Américas do Centro e do Sul, quando aqui era o quintal do primeiro mundo. Contra elas clamavam os então subversivos que, de presos políticos, na época, hoje são políticos às portas da cadeia no Brasil. Como aquelas, usam e abusam da propaganda para angariar simpatias através de ardilosa trama de pintar seus atos como sinais de progresso, quando não passam de exploração. Fizeram aquelas tudo por dinheiro, faz hoje a corporação petista tudo por poder governamental. Mas se tiver um a mais para entrar fica melhor.

O cotidiano do noticiário está repleto das mascaradas com que os petistas enfeitam o progresso que estão trazendo ao país. Uma das mais vistosas vitórias petistas foi cantada a plenos pulmões por Didi, a mãe dos desgraçados e grande ilusionista econômica com soluções inusitadas para resolver crises mundiais apenas de uso interno. Lógico que lá fora ninguém se atreve a usar o placebo econômico recomendado pela douta técnica. Os estrangeiros sabem de cor que nossa eminência está fazendo "o saneamento da pobreza" como bem disse, em prova do Enem, jovem que estuda em escola pública da educação petista.

Como poderão os estrangeiros aproveitar a sabedoria de uma economista que confunde renda média com classe média? Ou que já disse ser formada em curso que nunca completou? Foi só o Banco Mundial anunciar que houve aumento de 50% na renda média da América Latina para nossa doutora mágica berrar que aumentou a classe média no país. Balela que trombetearam os petistas como verdade indiscutível.

O Banco Mundial considera de classe média famílias de até quatro membros com ganho mensal em torno de R$ 2,3 mil, bem longe da classe média considerada pelos petistas que enfiaram no mesmo saco os emergentes das medidas placebo e seus batalhões de comissionados para declararem aumento na classe média nacional. Mais uma fanfarronada governamental, "apesar de a América Latina já ser uma região de renda média, ela ainda está longe de ser uma região de classe média tradicional, pois muitos avanços ainda precisam ser feitos em saúde pública, ensino e segurança".

Como podemos nos vangloriar de um maior contingente na classe média, quando essa massa emergente ainda vive em ruas sem asfalto, sem saneamento básico, sem saúde pública adequada, com ensino deficiente - um dos piores do mundo? Que classe média será essa que se orgulha de ganhar dois salários mínimos, mais um sacolão de bolsas para isso e aquilo, vivendo em favelas ou cidades favelizadas por petistas? Esses detalhes pouco importam à corporação PT, mais afeita a fabricar um país de néscios do que um país de classe média. Inclusive que isso requer democracia, da qual têm alergia, mas fantasiam sua demagogia de corporação. Sequer pensam também em implementar as recomendações internacionais de reformas. Fazer bem o dever de casa, nem pensar, pois os bons gazeteiros levam os outros coniventes de sempre na flauta, porque tudo é pago com a mais escandalosa corrupção do mundo.


0 comentários:

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.