segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Fluiminense vence e é tetracampeão brasileiro. Vasco empata com Galo, Botafogo goleia e ainda luta pelo G4 e Flamengo se livra do rebaixamento.

Fred marcou dois e decidiu o campeonato.

Palmeiras 2 x 3 Fluminense

Em jogo com clima de decisão, o Fluminense precisava vencer e torcer para o Galo tropeçar diante do Vasco em São Januário. Foi o que aconteceu e a torcida tricolor comemorou o tetracampeonato com quatro rodadas de antecedência.

O jogo contra o desesperado Palmeiras começou com o Fluminense tendo a posse da bola e o time paulista atacando com nervosismo e errando muitos passes. Aos 4, Wesley cruzou e Obina testou à direita de Cavalieri, configurando a primeira chegada ao ataque do Verdão. O Flu respondeu oito minutos mais tarde em cabeçada de Fred, que foi desviada pelo goleiro Bruno para escanteio. Aos 18, Barcos recebeu na área, girou sobre Gum e chutou para fora.

Aos 25, Barcos cabeceou livre na área e a bola foi por cima. O forte calor em Presidente Prudente esfriou a partida. O Tricolor passou a dominar o jogo e aos 38, Gum cruzou para Fred, que desviou de cabeça e viu a bola explodir na trave esquerda de Bruno. No rebote, o mesmo Fred chutou por cima do gol. Quando o empate parecia certo na primeira etapa, o Fluzão marcou. Aos 45, Nem recebeu na área e bateu rasteiro. Bruno fez boa defesa, mas no rebote, Fred chutou para abrir o placar.

Precisando do resultado, o Palmeiras voltou com Maikon Leite no lugar de Obina e em contradição com a substituição, passou a tentar mais bolas aéreas. A alteração melhorou o jogo para o Tricolor. Aos 2, em contra-ataque, Sóbis bateu rasteiro para defesa de Bruno. Três minutos depois, Sóbis marcou, aproveitando rebote de chute de Thiago Neves, mas estava em posição irregular e o gol foi anulado. Aos 8, Fred recebeu pela direita e cruzou para a área. Maurício Ramos tentou afastar, mas acabou encobrindo o goleiro e marcando o segundo gol do Fluminense.

Após o gol, a torcida tricolor já festejava aos gritos de “é campeão”, impulsionada pelo gol de empate do Vasco contra o Galo minutos antes. Em campo, o time pareceu pensar na festa do título e relaxou completamente. Aos 14, Roman cruzou e Maurício Ramos apareceu livre para cabecear, mas a bola foi por cima. Dois minutos depois, após sobra de escanteio, o matador Barcos empurrou para as redes e diminuiu. O sono tricolor continuou e o Palmeiras empatou após Correa bater falta pelo alto e Patrick Vieira, totalmente livre na pequena área, testar para o gol.

Um minuto depois do empate, Maikon Leite recebeu na área e bateu forte, mas Cavalieri espalmou para escanteio. Percebendo a desatenção do time na marcação, Abel Braga pôs o volante Valencia na vaga de Sóbis. Aos 30 minutos, o lance que poderia ter mudado a história do jogo. Correa cruzou na área e após disputa pelo alto, a bola sobrou limpa para Maurício Ramos na entrada da pequena área. O zagueiro encheu o pé e Diego Cavalieri fez defesa espetacular, salvando o Flu de levar a virada.

O time paulista continuava pressionando, mas os jogadores começavam a sentir o desgaste. Aos 33, Correa bateu escanteio e Roman testou na rede pelo lado de fora. Aos 36, foi a vez do Fluminense cobrar escanteio. A bola sobrou para Fred, que chutou para fora, perdendo gol incrível o que não é do feitio do atacante. Aproveitando o cansaço do Palmeiras, o Fluminense partiu para o título. Jean recebeu pela direita e cruzou na marca do pênalti para o matador Fred finalizar o campeonato brasileiro de 2012.

Uma grande vitória do Fluzão. O Tetracampeão conquistou seu 38º ponto fora de casa no Brasileirão e tem batido todos o recordes do torneio. Agora resta à nação tricolor comemorar o segundo título brasileiro do clube em três anos.

O Fluminense cumprirá tabela diante do Cruzeiro, domingo, no Engenhão. O jogo marcará a grande festa pelo título e o time mineiro é o convidado ideal, já que é rival do Atlético, que passou boa parte do campeonato na liderança, mas não teve gás e agora ocupa a terceira posição.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 3 FLUMINENSE
Local: Eduardo José Farah, em Presidente Prudente (SP)
Data-Hora: 9/11/2012 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (Fifa-SC) e Fabiano da Silva Ramires (ES)
Renda e público: 
R$ 223.495,00 / 8.461 pagantes
Cartões amarelos: Luan e João Denoni (PAL) Jean e Carlinhos (FLU)
Cartões vermelhos: -
Gols: Fred 45'/1°T (0-1), Mauricio Ramos (contra) 9'/2ºT (0-2), Barcos 16'/2ºT (1-2), Patrick Vieira 19'/2ºT (2-2) e Fred 43'/2ºT (2-3)
PALMEIRAS: Bruno, Wesley, Maurício Ramos, Henrique (Román 24'/1ºT) e Juninho; Marcos Assunção (Luan 13'/2ºT), João Denoni, Correa e Patrick Vieira; Obina (Maikon Leite - Intervalo) e Barcos - Técnico: Gilson Kleina.
FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Bruno (Diguinho 33'/2ºT), Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean e Thiago Neves; Wellington Nem (Marcos Júnior 13'/2ºT), Rafael Sobis (Valencia 23'/2ºT) e Fred - Técnico: Abel Braga.


Bruno marcou novamente e é
esperança para 2013.
Botafogo 3 x 0 Portuguesa

Sonhando com uma vaga no G4, o Botafogo goleou a Portuguesa com facilidade e com a derrota do São Paulo para o Grêmio, a vaga está a 5 pontos do time carioca.

Desde o princípio do jogo, o Fogão pressionou, mostrando a imensa superioridade técnica em relação ao time paulista. Aos 11, Fellype Gabriel tentou passe pelo meio, a bola desviou na zaga e sobrou para Bruno Mendes, que tocou com categoria e abriu o placar. Aos 17, Bruno Mendes teve nova chance, mas sua cabeçada parou em Dida. O time da casa deu uma relaxada e a Lusa passou a pressionar, mas sem qualidade. Aos 24, Marcelo Cordeiro cobrou falta lateral direto para o gol e Jefferson afastou. Cinco minutos depois, Ananias bateu forte de longe e a bola passou perto do gol.

No fim do primeiro tempo, o Botafogo voltou a mandar na partida. Aos 38, após cruzamento rasteiro de Lodeiro e bate-rebate na área, a bola passou entre as pernas de Andrezinho, que ficaria com o gol vazio, caso dominasse. Aos 41, Fellype Gabriel tabelou com Lodeiro e bateu no alto. Dida espalmou tranquilamente para escanteio.

A primeira etapa deu a impressão que o Fogão poderia matar o jogo a qualquer momento. E foi o que aconteceu. Aos 17 segundo, Andrezinho deu belo passe para Fellype Gabriel. O meia demorou a chutar e quando concluiu, foi travado pela zaga da Lusa. Alguns segundos mais tarde, Marcio Azevedo cruzou rasteiro e Bruno Mendes desviou para o gol. O tento do garoto foi erroneamente anulado pelo árbitro, atendendo sinalização de impedimento do bandeira.

O Botafogo seguia em busca do segundo gol. Aos 6, Andrezinho cobrou falta pelo alto e Antonio Carlos testou no pé da trave direita de Dida. Aos 10, após escanteio, Fellype Gabriel matou no peito e a bola ficou com Lodeiro na esquerda da pequena área. O Uruguaio cruzou rasteiro, a bola passou em cima da linha, quase foi tocada por Bruno Mendes, mas o gol não saiu. Aos 19, Marcelo Cordeiro foi expulso e facilitou a vida botafoguense, que já era superior contra onze e aumentou o domínio contra dez.

Aos 21, Renato cobrou falta pelo alto, Fellype Gabriel desviou de cabeça, a bola tocou na trave esquerda e entrou. Sem força para reagir, a Portuguesa viu o Botafogo administrar o resultado. Aos 36, Andrezinho deu incrível arrancada, após tabela com Bruno Mendes, driblou dois adversários em velocidade e quando driblou Dida, foi derrubado pelo goleiro dentro da área. O mesmo Andrezinho cobrou o pênalti e o experiente goleiro da Lusa defendeu.

Mesmo entrando no fim, Seedorf teve grande chance de marcar. Após passe de Lucas, o meia chutou de esquerda da marca do pênalti, mas a bola desviou na zaga e foi para fora. Quem também entrou no fim e teve chance de marcar foi Vitor Júnior. Diferente de Seedorf, o meia aproveitou a oportunidade. Ele tabelou com Bruno Mendes e da entrada da área chutou rasteiro, no canto direito de Dida para fechar o placar. Emocionado, o jogador derramou lágrimas na comemoração.

Para manter o sonho da Libertadores vivo, o Botafogo terá que derrotar o desesperado Sport, no Recife. O jogo acontece no domingo.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 3 X 0 PORTUGUESA
Estádio: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 10/11/2012 - 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Jaílson Macedo de Freitas (BA)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago (Fifa/MG) e Guilherme Dias Camilo (MG)
Renda/Público:
 R$ 82.520,00 / 3.870 pagantes
Cartões amarelos: Bruno Mineiro, Marcelo Cordeiro, Rogério, Dida e Gustavo (POR)
Cartão vermelho: Marcelo Cordeiro, 19'/2°T (POR)
Gols: Bruno Mendes, aos 12'/1ºT (1-0); Fellype Gabriel, aos 21'/2°T (2-0) e Vitor Júnior, aos 44'/2°T (3-0)
BOTAFOGO: Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Dória e Márcio Azevedo; Jadson, Renato (Rodrigo Dantas, 43'/2°T), Andrezinho e Fellype Gabriel (Seedorf, 34'/2°T); Lodeiro (Vitor Júnior, 42'°2°T) e Bruno Mendes. Técnico: Oswaldo de Oliveira.
PORTUGUESA: Dida, Luis Ricardo, Gustavo, Valdomiro e Marcelo Cordeiro; Léo Silva, Rogerio (Zé Antônio, 36'/2°T), Héverton (Diego Viana, 25'/2°T) e Boquita; Ananias e Bruno Mineiro (Diguinho, 17'/2ºT). Técnico: Geninho.


Ronaldinho fez gol, mas não adiantou.
Vasco 1 x 1 Atlético-MG

Vindo de seis derrotas consecutivas, o Vasco queria dar uma resposta à torcida, após a demissão do técnico Marcelo Oliveira. Com Felipe e Juninho de titulares, o time carioca empatou com o Galo e ajudou o Fluminense a conquistar o título antecipadamente.

Precisando da vitória para continuar na caça ao Fluminense, o Atlético começou pressionando. Aos 5, Ronaldinho cobrou falta de longe, Prass deu rebote para o meio da área, mas Rever não aproveitou e bateu para fora. Aos 15, após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Tenório dentro da pequena área. De costas, o equatoriano dominou e bateu para o gol, mas Victor saiu bem e conseguiu abafar a conclusão. Aos 19, o Vasco chegou ao gol, em chute de Wendel de fora da área, mas o lance foi anulado devido ao grito de “deixa” do jogador cruzmaltino. Aos 23, Juninho cobrou falta de longe. A bola foi no ângulo, mas Victor espalmou para escanteio.

Aos 26 minutos, Ronaldinho lançou Escudero na área. O argentino se jogou quando era perseguido por Douglas e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Ronaldinho abriu o placar. Aos 33, Juninho bateu falta de muito longe, bem ao seu estilo. A bola quicou antes de chegar a Victor, que espalmou para frente, mas nenhum jogador vascaíno aproveitou. Aos 35, Leonardo recebeu lançamento e finalizou. A bola desviou na zaga vascaína e Prass se recuperou a tempo de evitar o segundo gol atleticano. Aos 38, Ronaldinho surpreendeu a todos e bateu escanteio rasteiro e fechado. A bola tocou o pé da trave direita de Prass. Aos 40, Serginho foi expulso e prejudicou muito o Galo.

Na segunda etapa, o Vasco voltou com Marlone na vaga de Tenório e foi para cima. Aos 8, Felipe enfiou bola para Alecsandro, que bateu firme. Victor fez a defesa e pôs para escanteio. Dois minutos depois, a jogada se repetiu, mas Alecsandro estava melhor colocado e tocou na saída do goleiro para empatar. O gol não foi comemorado pelo centroavante. Muito bem na partida, Felipe achou Max pelo meio. O lateral bateu rasteiro, mas Victor salvou.

O Atlético precisava da vitória e mesmo com um a menos se mandou ao ataque. Aos 27, Rever bateu rasteiro da entrada da área e a bola passou muito perto da trave esquerda de Prass. Dois minutos depois, Neto Berola foi lançado, driblou Fernando Prass, mas se desequilibrou e não conseguiu concluir. Aos 37, Douglas foi expulso após levar o segundo cartão amarelo. Aos 46, aconteceu o último suspiro do Galo no campeonato, quando Ronaldinho cobrou falta pelo alto e Réver acertou cabeçada no ângulo. Fernando Prass voou e salvou não só o Vasco da derrota, como também o título antecipado do Fluminense.

O Vasco volta a campo para cumprir tabela diante do Coritiba, sábado, no Paraná. O jogo de nada vale, já que as duas equipes não têm mais pretensões no campeonato.

FICHA TÉCNICA
VASCO 1 x 1 ATLÉTICO-MG
Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data-horário: 11/11/2012 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fábio Pereira (TO) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Gols: Ronaldinho (27’/1ºT); Alecsandro (10’/2ºT)
Cartão amarelo: Douglas, Wendel, Eduardo Costa, Juninho, Felipe (VAS); Serginho, Marcos Rocha (CAM)
Cartão vermelho: Douglas (VAS) Serginho (CAM)
VASCO: Fernando Prass; Jonas (Max – intervalo), Douglas, Renato Silva e Thiago Feltri (Felipe Bastos – 23’/2ºT); Eduardo Costa, Wendel, Juninho e Felipe; Tenório (Marlone – intervalo) e Alecsandro. Técnico: Gaúcho.
ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva e Junior César; Pierre, Serginho, Escudero (Richarlyson – intervalo) e Ronaldinho; Bernard (Neto Berola – 27’/2ºT) e Leonardo (Guilherme – 14’/2ºT). Técnico: Cuca.


Renato comemora o fim do risco
de ser rebaixado.
Náutico 0 x 1 Flamengo

Surpreendendo até o mais crente dos rubro-negros, o Flamengo derrotou o Náutico nos Aflitos e se livrou de uma vez por todas do rebaixamento.

O time pernambucano começou pressionando, como sempre faz em casa. Aos 10, Rogério cruzou, a bola foi afastada parcialmente e sobrou para Rhayner, que encheu o pé. Ibson desviou a bola no meio do caminho e salvou o Flamengo. Aos 21, Patric cruzou para Kieza, que testou forte e Paulo Victor fez grande defesa. O time carioca não ameaçava, mas se defendia bem e o jogo ficou morno. Aos 40, Souza deu passe para Douglas Santos na esquerda e o lateral bateu forte, mas em cima de Paulo Victor, que encaixou a bola.

Na segunda etapa, o Flamengo saiu mais para o jogo. Aos 9, o garoto Felipe Dias recebeu lançamento na esquerda, dominou e arrumou para Hernane, que chutou para defesa de Felipe. Aos 15, Souza cobrou falta de longe, a bola desviou na zaga e Paulo Victor fez a defesa, se recuperando bem no lance. Aos 26, Araújo recebeu pelo meio em contra-ataque e achou Dimba dentro da área. Livre, o atacante chutou para fora, perdendo grande oportunidade.

O jogo caminhava sonolento, quando Wellington Bruno,aos 35, recebeu a bola na grande área, tentou o drible e quando viu que não alcançaria a bola, se atirou no chão. O árbitro caiu na dele e marcou pênalti, que Renato Abreu cobrou para definir o jogo. O time da casa não mostrou força, muito menos vontade para reagir e a partida terminou.

Com o resultado, o Flamengo é mais um clube que cumprirá tabela no campeonato. O próximo jogo será domingo, contra o Palmeiras, em Volta Redonda. O duelo poderá marcar o rebaixamento do clube paulista.

FICHA TÉCNICA
NÁUTICO 0 X 1 FLAMENGO
Local: Estádio dos Aflitos, Recife (PE)
Data-Hora: 11/11/2012 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho (SP) e Cleriston Clay Barreto (SE)
Renda e público:
 R$ 406.175,00 / 19.252 pagantes
Cartões amarelos
: Dadá (NAU; Felipe Dias (FLA)
Cartões vermelhos: -
Gols: Renato Abreu 36'/2ºT (0-1)
NÁUTICO: Felipe; Patric, Alison, Jean Rolt e Douglas Santos (João Paulo - Intervalo); Dadá (Dimba 22'/2ºT), Josa, Souza e Rhayner; Kieza e Rogério (Araújo 22'/2ºT) - Técnico: Alexandre Gallo.
FLAMENGO: Paulo Victor, Wellington Silva, Renato Santos, González e Felipe Dias; Amaral, Ibson (Bottinelli 34'/2ºT), Renato e Cleber Santana (Welligton Bruno 32'/2ºT); Vagner Love (Paulo Sergio 22'/2ºT) e Hernane - Técnico: Dorival Júnior.

Tabela de Classificação:



0 comentários:

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.