terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Afinal, para que servem as Forças Armadas?



Coluna do Gomes da Moto Gomes - O Brasil está sendo invadido e dominado por grupos estrangeiros oportunistas. Estão retirando as nossas riquezas debaixo de nosso nariz e quiçá tentando nos tomar a Amazônia.
Marginais desfilam com armamento de guerra por todo o País e desafiam a toda e qualquer autoridade.
Hoje, os homens da lei escondem seu distintivo com medo dos fora da lei.
O País esta um verdadeiro caos onde o timão desta nave mãe encontra-se nas mãos de pessoas sem a menor autoridade, competência e moral cívica.
Estamos sendo explorados e vendidos aos poucos por facções marginais e grupos estrangeiros, até não restar mais nada. nem a nossa dignidade.
Onde esta a SOBERANIA desta Nação?
Onde estão os filhos da Mãe Pátria?
E afinal, para que servem as Forças Armadas?
Eu não sei ! Você não sabe ! Quem sabe ?


7 comentários:

Anônimo disse...

As forças armadas em uma democracia estão nas mãos dos governantes eleitos pelo povo, tipo esse que elegeu um governante tipo Quaqua, quando isso ocorre na esferal federal, dá nisso. Mais em um olhar mais pesquisador, vc vai ve-la em navios hospitais na Amazônia, nas fronteiras, viu fazendo o trabalho da polícia nas favelas mais perigosas do Rio, em diversas situações de calamidada, lá estão elas montando hospitais de campanha em menos de um dia e ajudando na desobstrução de vias, mas nossos políticos só falam de 64 mesmo 48 anos depois e sob aplausos do povo. Não servem mais ao povo, porque estão sucateadas e porque nossos políticos não querem (e sob aplausos do povo).

Anônimo disse...

Devido ao tamanho, dividirei meu comentário em partes:
As Forças Armadas são instituições permanentes .... isso está na constituição federal de 1988 basta pesquisar, vamos ao que não está escrito lá.
Se o Brasil hoje tem o tamanho atual em muito se deve às FFAA, foram a Marinha do Brasil e o Exército que debelaram os movimentos revoltosos entre 1835 e 1845, época conturbada em todo o mundo é verdade.
Sem mencionar é claro as guerras por fronteiras como a do Paraguai e mesmo no caso onde não houve guerra, mas ação diplomática como no caso da aquisição do Estado do ACRE, o Barão do Rio Branco teve atuação destacada usando sempre o respaldo militar.
Infelizmente a grande maioria dos brasileiros, principalmente os mais jovens, tem das FFAA a imagem construída por parte da imprensa de que são culpados por tudo de ruim que existe por causa do período de 1964 a 1985.
Em momento algum, salvo algumas exceções, são apresentados os motivos que levaram à tomada do poder (a polarização com o comunismo, a insatisfação da própria sociedade na época, a situação política desde o período pré-eleitoral onde foi eleito o o presidente João Goulart entre outros).
Francisco São Bento da Lagoa

Anônimo disse...

Continuando:
Longe de mim querer defender os abusos que foram feitos neste período, que jamais deve ser esquecido e sim estudado a fundo, tanto para que não se repita como para apurar o que houve de fato.
Naquela época longinqua, diversos órgãos de repressão agiam, dentre eles órgãos do Exército, mas também havia muitos órgãos das Polícias, muito embora tudo caia na conta do Exército.
De lá para cá muitíssima coisa mudou, para melhor e para pior.
Nos tempos atuais as FFAA tem atribuições que vão muito além de defender a pátria de um inimigo externo invisível, como alguns querem fazer crer. Por sinal este é um conceito que merece ser avaliado com muito cuidado. Principalmente porque não existe no mundo, grupo financeiro que não tenha interesse econômico no Brasil e nas comodities aqui existentes. Não pense que é teoria da conspiração, é constatação da verdade apenas. Muitos já devem ter lido que há opiniões, sempre nascidas no exterior, que não há mais necessidade de FFAA no Brasil.
Embora só se fale no pré-sal, existem muitas outras riquezas que podem alçar o Brasil ao topo da economia mundial, cito o Nióbio onde 91% das reservas do mundo estão no Brasil, os outros 7% estão no Canadá mas 100% do Nióbio exportado para o mundo sai do Brasil. Marcos Valério, aquele do mensalão, disse que o grosso do dinheiro que abastecia o esquema vinha do contrabando do Nióbio. Sabe quem estava vendendo uma mina de Nióbio, inclusive, ninguém menos que o José Dirceu.
O exemplo acima foi apenas para apresentar uma das muitas riquezas minerais que existem no Brasil e que são motivo de cobiça internacional. A venda do Nióbio é feita a preços ridículos hoje, a inversão de tal fato traria muitos mais recursos que o pré-sal por exemplo.
Francisco São Bento da Lagoa

Anônimo disse...

Continuando:
A maioria da população desconhece por exemplo que o pré-sal fica afastado da costa, cerca de 100 a 200 Km, e que nem todos os países do mundo reconhecem a autoridade do país sobre essas águas e solo, dentre esses países está os EUA.
Cabe à Marinha do Brasil manter a vigilância sobre essa área tão cobiçada. Para dar uma dimensão da coisa: estão ocorrendo discussões acirradas sobre os royalties no congresso, de nada adiantará definir os royalties se não tivermos como garantir a soberania em alto mar. e não pensem que não há grupos internacionais interessados nisso.
A salva-guarda da vida humana no mar também cabe à Marinha do Brasil. Sabem quantos acidentes ocorrem em alto-mar e a Marinha é acionada para salvar vidas anualmente? Centenas. São noticiados? Não. Você valorizaria o trabalho de alguém que se quer destruir?
Falando assim parece fácil, no mar as distâncias são enormes e para se fazer um atendimento são necessários muito esforço, dedicação e grana muita grana para manter os meios da Marinha.
Lembra o caso do VOO 447 da AIR FRANCE, com certeza os parentes das vítimas se lembram. Só foi possível chegar lá com os navios da Marinha.
O que muita gente também não sabe é que 96% do comércio internacional brasileiro se dá pelo mar. Para ter aquele computador da hora, aquele tablet, o iphone, o carrão e até a gasolina que usamos em nossos carros vem pelo mar. Todos os navios para atracarem e desatracarem dependem da Marinha através da atuação das Capitanias dos Portos. Ultimamente até para atacar facção criminosa utilizam blindados e fuzileiros da Marinha.
Francisco São Bento da Lagoa

Anônimo disse...

continuando
Com a Aeronáutica não é diferente, para simplificar: todas as aeronaves que pousam, decolam e voam em nosso espaço aéreo são controladas pelo pessoal da Força Aérea Brasileira. Também é a FAB em conjunto com a Marinha, que realizam busca em alto-mar quando há algum tipo de acidente lá.
O Exército atua nos mais diversos campos, da fronteira combatendo o tráfico de drogas e armas, até os conflitos urbanos país afora. Se tem greve da polícia chama o Exército (vide Bahia e Pernambuco), se tem enchente ou seca chame o Exército (veja o que o Exército está fazendo no sertão nordestino e Minas Gerais), vai ter eleição chama o EB, se tem mosquito da dengue, chama o EB, tem que fazer obra de emergência chama o EB (veja o aeroporto de São Gonçalo do Amarante em Natal), tem evento internacional chama o EB (veja o exemplo da RIO+20) dentre muitas outras coisas que o EB faz.
Para os que desconhecem o valor das nossas Forças Armadas os estrangeiros a respeitam e muito. Em todas as operações internacionais os militares brasileiros se destacam, ultimamente as FFAA brasileiras lideram ações no HAITI e no LÍBANO.
Todas as ações positivas das FFAA nunca são divulgadas pela grande mídia, alguns poucos blogs e revistas se dedicam a isso.
O que não é nenhuma novidade, me atrevo a fazer inclusive um comparativo:
Quem mora em Maricá lê a verdade que ocorre por aqui no Jornal O Dia, O Fluminense, EXTRA e etc?
Com raríssimas exceções.
Francisco São Bento da Lagoa

Anônimo disse...

continuando:
Dê uma olhada nos nomes envolvidos no mensalão e toda podridão que reina atualmente nesse país e trace um paralelo com as atividades que eles desempenhavam em 1964. Ainda acha que haveria algum tipo de propaganda a favor das FFAA?
Faça uma pesquisa no GOOGLE sobre: Forças Armadas ajudam
O último freio para determinadas ações em Brasília e país afora são as FFAA, pode ter certeza disso, o presidente que abriu mão do apoio das FFAA, leia-se FERNANDO COLLOR DE MELO, perdeu o mandato por menos de 0,00005% do que fez o ex-presidente lula.
Como já disseram no comentário anterior, os atuais mandatários não estão nem aí para a situação das FFAA, e são eles que tem o poder da caneta para melhorar a situação de penúria que passam as FFAA. É bem verdade que a situação chegou até aqui desse jeito por culpa do filósofo FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, talvez o maior culpado pelo estado de abandono atual.
Na EUROPA e EUA a população tem orgulho de suas FFAA pelos ideais que elas representam, seu passado de glórias e sobretudo porque são instituições seculares e, independentemente de quem esteja à frente do governo, sabem que podem contar com elas.
No Brasil a maior parte da população desconhece o papel das FFAA e se deixa levar por pensamentos alienígenas ao interesse nacional.
Cuidemo-nos para não sermos os inocentes úteis, como os foram os cara pintadas do fora collor.

Francisco São Bento da Lagoa

Gomes da Moto Gomes disse...

Sr Francisco, Conheço bem tudo o que o Sr descriminou acima porém o que o mSr não entendeu é a metáfora do texto apresentado.
Con heço bem o papel glorioso das Forças Armadas e quando militar jamais tive de esconder minha identidade por medo de delinquentes, ou tampouco vi na dita Ditadura, tanta roubalheira, corrupção, falta de patriotismo e civilidade, de soberania nacional. Falo no sentido de que se as forças auxiliares são corruptas e bandidas ou omissas, talvez encontrassemos nas Forças Armadas um,a solução. Vivemos uma Guerra Civil deflagrada e camuflada. Enfim, se muito bem o que são e para que serveriam as Forças Armadas. Se entendeu bem as entrelinhas, estritamente necessárias no momento atual.
Apenas como adendo, todas as vezes em que usei a farda, foi com muito orgulho e satisfação.

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.