segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Análise da luta – Vitor Belfort x Michael Bisping


O primeiro UFC de 2013 acontece neste sábado, em São Paulo. Na luta principal, um velho conhecido do público paulista fará as honras da casa para o inglês Michael Bisping. Trata-se de Vítor Belfort, que lutou no ginásio da Portuguesa, em 1998, no primeiro UFC realizado no Brasil. Na ocasião, o carioca nocauteou Wanderlei Silva em segundos.

Dessa vez, Belfort busca a vitória para se aproximar de uma luta pelo cinturão dos médios, que há muitos anos é de Anderson Silva. O brasileiro foi derrotado em sua última luta por Jon Jones, campeão dos meio-pesados. Michael Bisping, por sua vez, teve a promessa do presidente do UFC, que caso vença Vitor, lutará em seguida pelo título. O Inglês vem de vitória sobre Brian Stann, mas foi derrotado por todos os lutadores ‘tops’ que enfrentou até hoje.



Trocação:

Belfort dizimando Akiyama.
Vitor Belfort tem mãos rápidas e poderosas e Bisping já sofreu com armas parecidas, quando foi nocauteado por Dan Henderson. O brasileiro provavelmente buscará a trocação, para tentar nocautear o inglês já no primeiro round. Vitor tem 14 vitórias por nocaute na carreira sobre nomes como Wanderlei Silva, Rich Franklin e Yoshihiro Akiyama.

Michael Bisping tem sua origem na luta em pé, mais precisamente no kickboxing, porém sua falta de “punch” não o credencia como um grande trocador. Tem boa técnica, mas não foi capaz de nocautear lutadores como Akiyama e Dan Miller, que trocaram três rounds com ele e não caíram.


Quedas:

Uma das quedas de Bisping sobre Stann.
VB: Ainda é o ponto fraco do fenômeno, mas é pouco provável que Bisping consiga o colocar para baixo. Provavelmente, Vitor não tentará quedas, pela aparente superioridade na luta em pé.

MB: O “Conde” tem um bom wrestling e conseguiu quedar Stann em sua última luta sem muita dificuldade, porém não tem um nível muito alto, sendo dominado por Sonnen neste quesito em sua penúltima luta. A tendência é que sua tática seja baseada em fugir da trocação franca com Belfort e utilizar as quedas para vencer round a round.


Chão:

A chave que quase deu
a vitória sobre Jones.
VB: A chave de braço aplicada contra Jones em sua última luta reacendeu a esperança dos fãs no jiu-jitsu de Belfort, e caso Bisping consiga colocá-lo para baixo, ele irá usar sua boa guarda para raspar ou finalizar o inglês, que provavelmente não escaparia da chave de braço defendida no sufoco por Jones. É também um bom caminho dada a fragilidade de Bisping por baixo.

O domínio de Kang sobre Bisping
no solo.
MB: Faixa marrom de jiu-jitsu, Bisping não é um grande finalizador, mas consegue controlar bem por cima. Por baixo, tenta voltar a ficar de pé de qualquer maneira e abre espaços para golpes e transição do adversário, como na luta contra Denis Kang, quando no primeiro round foi dominado no chão e chegou a tentar chaves de braço, que passaram longe de encaixar.


Caminho para a vitória:

Bisping foi apagado por Hendo.
VB: Encurtar a distância e acertar seus potentes golpes, assim como fez Dan Henderson. Também pode vencer a luta no solo, pois é bem superior neste quesito, mas é pouco provável que consiga colocar Bisping no chão com uma queda. Já com socos, a história é diferente.

MB: Manter a luta na longa distância e aproveitar a vantagem de envergadura e altura para cozinhar o combate até que Belfort canse. Quedas ao final de cada round também fazem parte do repertório que poderá ser utilizado pelo inglês.


Confira as outras lutas do evento:

Card principal

Vitor Belfort x Michael Bisping
CB Dollaway x Daniel Sarafian
Ben Rothwell x Gabriel Napão
Khabib Nurmagomedov x Thiago Tavares

Card preliminar

Godofredo Pepey x Miltinho Vieira
Andrew Craig x Ronny Markes
Nik Lentz x Diego Nunes
Edson Barboza x Lucas Martins
Iuri Marajó x Pedro Nobre
Ildemar Marajó x Wagner Caldeirão
CJ Keith x Francisco Massaranduba


0 comentários:

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.