terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Conjunto residencial em Itaipuaçu pode virar favela

Estou muito preocupado com o "Residencial Carlos Marighela" que está sendo construído em Itaipuaçu, mais especificamente, em frente à minha casa.

É um conjunto residencial para famílias de baixa renda (0 a 3 salários mínimos). A quantidade de apartamento assusta: aproximadamente 1500 unidades e considerando uma média de 3 a 4 pessoas por unidade, teremos, de forma abrupta cerca de 5 mil novos moradores da noite para o dia.

O prefeito Quaquá, que adora holofotes, assinou um contrato de intenção de obras com a desculpa esfarrapada de diminuir o déficit habitacional. Ok, tudo bem, vou até desconsiderar que isso foi feito em época eleitoral. Mas pera lá, tem um porém.

O problema é que o tal "condomínio" tem grandes possibilidades de se tornar em uma espécie de "Nova Sepetiba" ou então "Cidade de Deus" e assim, na verdade, ser uma favela urbanizada.

Sou favorável a um programa habitacional para famílias de baixa renda sim, o problema é a região em que foi implantado e a quantidade de pessoas, que é muito expressiva (5 mil). Mas o que mais está perturbando os moradores da região é que ele foi implementado em uma área de franca valorização imobiliária.

Mal começou a obra desse residencial e os preços dos imóveis despencaram, principalmente no condomínio  Reserva Residencial, que fica bem de frente. Há um receio muito grande de que essa região fique mais perigosa (muita gente sem planejamento familiar, com baixa renda, mentes ociosas...) e uma certeza bem concreta de que não haverá mais a tranquilidade atual. Moradores da região já conseguem estimar o fluxo de pessoas na rua que dá acesso ao residencial, com vários "moto taxis" da vida, fazendo uma terrível bagunça. Enfim... o nosso querido prefeito não considerou o potencial imobiliário da região e fez uma obra que desvalorizou absurdamente os imóveis dos que já residem ali há tanto tempo.

Isso é como montar um "COHAB" em plena Ipanema ou Leblon.

Wesley Braytiner


13 comentários:

Anônimo disse...

ITAIPUAÇU JA E UMA FAVELA GRAÇAS AO MINHA CASA MINHA VIDA

Anderson da Silva disse...

Anonimo, baseado em que? Conheço familias que aderiram ao programa onde os chefes de familia são Advogados, Tecnicos em Robotica, Engenheiros, Analistas de Rede, Servidores publicos esfera estadual, enfim. Não procede o comentário. Afinal, não é toda a familia de 'pobre', pelo que ficou nas entrelinhas, que podem pagar R$ 800,00 de parcela do imovel.

Anônimo disse...

NÃO SÓ ITAIPUAÇÚ MAS TODA MARICÁ PARECE NÃO TER UM CÓDIGO DE OBRAS,ACHO ABSURDO OS CONSTRUTORES COMPRAREM UM TERRENO COM 12 METROS DE FRENTE DEPOIS DIVIDÍ-LO EM QUATRO E CONTRUIR PEQUENAS CASAS COM TESTADA DE 4 METROS, PARA MIM ISTO É FAVELIZAÇÃO, INDEPENDENTE DO PREÇO DE VENDA DESTES IMÓVEIS.

Anônimo disse...

Concordo com o Wesley, pois quem ali mora ou tem casa de veraneio está muito preocupado. O local é muito tranquilo, mas de uma hora para outra...
Pergunto: quem gostaria de morar de frente ou próximo de um "COHAB"?

Anônimo disse...

O chavito tem uns rompantes que sempre terminam mal. No mínimo ele vai querer inaugurar isso junto com a filha do apedeuta ao lado e dizer que fez o maior programa habitacional da história da galáxia. O maior problema dos conjuntos habitacionais populares é uma coisa chamada condomínio. Se a renda é baixa, o povo não paga a taxa mensal, a manutenção não é feita, os prédios ficam com aquela aparencia que vão cair (vide os existentes às margens da Av. Brasil) e realmente desvaloriza tudo que há em volta. Devemos ter cuidado para não partir para a xenofobia e querer segregar esse ou aquele cidadão que ali mora.
Qualquer ideia que tenha saido da mente do chavito deve ser vista com desconfiança e essa, infelizmente, é mais uma delas.
Vão fazer um conjunto pra 5.000 pessoas, perguntas que deveriam ser respondidas:
1- haverá água para todo esse consumo?
2- haverá transporte para atender todo mundo?
3- construirão escolas?
4- construirão postos de saúde?
5- como ficará a segurança nas proximidades?
6- a rede de esgoto vai desembocar aonde?
7- está sendo pensado como será a urbanização do entorno?

Duvido muito que o chavito tenha resposta (real, sem utopia) para mais de 01 pergunta acima.

Anônimo disse...

Planejamento zero. Apenas, marketing político. Quero ver como vai ficar este condomínio após alguns anos sem manutenção.E como ficam aqueles que possuem casas por ali? Poderia ser próxima da casa do prefeito...será que ele gostaria?

Anônimo disse...

Concordo que existe a falta de planejamento, mas o conteudo dessa carta é, no minimo, preconceituosa e elitista.

Anônimo disse...

Realmente é preocupante, pois comprei uma casa perto, fugindo da cidade caótica,agora vêm essa quantidade de casas para tirar a paz,o terreno era lindo com os pastos...
concordo com Sr.Wesley

Anônimo disse...

Um condomínio com aproximadamente 1.400 apartamentos, com um único acesso e estreito, com possivelmente grande volume de veículos...vai ficar muito complicado. Todos os moradores estão preocupados. É uma pena, o local é muito calmo, mas agora...como vai ficar?

Anônimo disse...

Até em Itaocaia Valley estão permitindo construções multifamiliares ao lado da estrada principal e a área é zona de amortecimento da reserva da Serra da Tiririca. Quem aprovou o Plano Diretor deverá ser posteriormente responsabilizado por crime ambiental.

Wesley Pipito disse...

Pra quem achou meu posicionamento "elitista", por favor, tenho uma sugestão: mudem-se para lá. Apenas 3 anos depois dessa postagem aquilo lá está um inferno.

Devemos ser menos hipócritas, isso sim.

Unknown disse...

aquele conjunto habitacional e uma grande favela

Unknown disse...

aquele conjunto habitacional e uma grande favela

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.