sábado, 16 de março de 2013

E agora, pato, como vai ser daqui pra frente?

Marcelo Bessa / Editorial - Após a decisão da Dra. Juliane Mósso de Freitas Guimarães, esta semana, que cassou o mandato do prefeito de Maricá, Washington Quaquá, e o tornou inelegível por 8 anos, recebi inúmeras mensagens de leitores e amigos no meu perfil do Facebook com dúvidas a respeito desse fato. Foram diversas indagações: "e agora, quem assume?", "ele pode recorrer?", "ele pode manter o mandato com recursos?", "isso é verdade mesmo?", e por aí vai.
Bem, baseado em informações de especialistas, ele pode sim recorrer da decisão podendo até chegar ao TSE, quiçá ainda ao STF. Vale ressaltar, inclusive, que o prefeito Quaquá já fora condenado anteriormente pela mesma juíza Dra. Juliane no caso referente aos "netbooks",  cujo processo, em Recurso Especial Eleitoral agravado pelo Procurador Regional Eleitoral Maurício da Rocha Ribeiro, já encontra-se em Brasília, no TSE desde o dia 8 de fevereiro a espera do julgamento.  
Voltemos ao caso ocorrido esta semana: De fato, conforme declarações do próprio Quaquá, na próxima segunda-feira seus advogados irão ao TRE (Maricá) tentar entrar com o Recurso. Caso a juíza não o acate, o Prefeito terá de recorrer no TRE-RJ e do TRE para o TSE, caso ele não consiga reverter a decisão imposta em 2ª instância. A partir de então, o processo começa o tal "trânsito em julgado" que é quando a parte condenada, neste caso o Quaquá, não poderá mais recorrer.
É certo de que o prefeito Quaquá aposta na lentidão da justiça. Mas, prezados leitores, lembram-se do caso do ex-vereador Paulo Maurício? Ele também apostara nessa tal lentidão, no entanto a justiça foi rápida e ele acabou caindo do cavalo, perdendo o seu mandato. 
No caso da perda do mandato do atual prefeito, sendo este um processo eleitoral, quem assume é o 2º colocado da disputa na última eleição, Marcelo Delaroli (DEM). A Quaquá, daqui por diante, resta contar com supostas "mexidas de pauzinhos" ou com a lentidão da justiça, ou até mesmo com uma simples decisão de improcedência da sentença por parte de algum Desembargador. Há de se lembrar também, que o Desembargador Luiz Zveiter não está mais na presidência do TRE-RJ.
O leitor de certo deve comentar: "isso vai dar em pizza!". Pode até ser; Quaquá vai tentar "empurrar com a barriga" o máximo possível que puder para dificultar a vida de Marcelo Delaroli, que, caso ele fosse empossado como Prefeito, abriria espaço para Anthony Garotinho na disputa eleitoral de 2014 a Governador, o que seria um desastre para a campanha do candidato ao governo do estado, Luis Fernando Pezão. Além disso, o fato em si enfraquece muito a pretensa candidatura da primeira dama, Rosângela Zeidan, e a do próprio prefeito a deputado federal. Enfim, Quaquá se tornará um verdadeiro " pato manco".

Como todos sabem e têm acompanhado nos últimos noticiários, até o julgamento no STF, referente ao recurso impetrado pelos três estados maiores produtores de petróleo do país (Rio, Espírito Santo e São Paulo), contra a decisão do Congresso Nacional em relação aos 'Royalties', serão menos R$ 6 milhões por mês para o município de Maricá. 

Portanto, sem orçamento para a UPA, não haverá verba suficiente para construir e nem manter um novo hospital. A ponte da Barra vai acabar se transformando num amontoado de estruturas enferrujadas. Isto porque, lá adiante, na abertura das torneiras, próximo ao período eleitoral, quando o governador Sérgio Cabral, que tanto ajudou o prefeito de Maricá em sua reeleição, se der conta de que os seus acordos de empreguismos na Prefeitura com o pessoal da Baixada Fluminense, a sua estratégia no acordo com a escola de Samba de Caxias, Grande Rio, para tornar-se conhecido como o "Hugo Chávez de Maricá" a fim de lançar sua candidatura a deputado federal junto com Lindberg Farias governador, os planos do Quaquá irão descer por água abaixo e ele não terá sua tão sonhada lagoa para nadar.

A pergunta que não quer calar é: Como Quaquá vai conseguir 50 mil votos em Maricá?


4 comentários:

Ninitka disse...

Só Deus na causa! Gostaria mesmo que ele fosse pra bem longe de Maricá e esquecesse o caminho da volta! Enquanto estiver o PT mandando! tudo vai se encaixar para prejudicar o povo... "Como foi mesmo, que ele se reelegeu????" Nina de Itaipuaçu

Anônimo disse...

Cara Nina, como foi que ele se elegeu? Pergunte ao Ricardo Queiroz e ao Hélcio Ângelo, aqueles dois vendidos! Se ao menos o Hélcio, aquele deputadosinho de m.... não tivesse se vendido pro pato, a história teria sido outra.

Cosme

Anônimo disse...

Fiquei sabendo que os Guardas Municipais de Maricá não tem reajustes desde 2008 vide plano de cargos e saláros da epoca e que o salário base dos novos concursados é de 561,00 menor que o estipulado pelo edital do concurso de 2011 que fora de 599,50... dinheiro para dobrar salarios dos CC's ele tem mas para o reajuste dos próprios funcionários não há...

Anônimo disse...

Tudo muito bonito no campo teórico, más na prática o dinheiro por baixo dos panos fala mais alto!

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.