quinta-feira, 14 de março de 2013

Localizada a mulher que atropelou criança e fugiu sem dar socorro

Depois de ter atropelado uma mãe e uma criança na última sexta-feira (8) em Inoã (Maricá) e ter fugido, Juliana Américo de Souza (20), moradora na rua Itaperuna em Itaocaia Valley (Itaipuaçu), vai ter que responder na justiça pelos supostos crimes praticados, entre os quais dirigir inabilitada e omissão de socorro, além de ter que indenizar as vítimas que permanecem até hoje internadas em estado gravíssimo.

A polícia localizou a casa da atropeladora,
mas ela não foi encontrada
O fato aconteceu em Inoã por volta de sete horas da manhã na estrada que vai para Itaipuaçu. A moradora local Fabiana Nunes da Silva (29) conduzia sua filha Marili kauane (11), na garupa de sua bicicleta em direção à escola quando, inesperadamente, Juliana, num veículo Fiat Palio azul placa LSJ 2831 que, segundo testemunhas, trafegava em alta velocidade, atropelou-as e fugiu sem prestar socorro, deixando-as caídas no asfalto até a chegada das ambulâncias.

O carro com os amassados
na lataria
Gravemente feridas, Fabiana foi encaminhada para o hospital Conde Modesto Leal no centro de Maricá enquanto que Marili, desacordada, foi para o hospital Alberto Torres em São Gonçalo, onde permanece até hoje no CTI, em coma induzido.

Revoltado, o marido de Fabiana, e pai da menina, Jaelson Ferreira, conhecido como Junior, catou alguns pedaços da lataria do carro no local, entre os quais um retrovisor, na esperança de encontrar o motorista que atropelara a sua família.

No fim da tarde de sábado, depois de muitas informações, Junior chegou até o portão da casa da atropeladora, em Itaocaia Valley, e localizou o carro suspeito. Porém, a fim de não restar nenhuma dúvida, obteve a confirmação através de um amigo mecânico de que o tal retrovisor encontrado no local do acidente era realmente de um veículo Palio.

No domingo, logo pela manhã, Junior foi com a polícia até a tal casa mas Juliana não foi encontrada. Através de informações da própria mãe que reside na mesma casa, os policiais conseguiram localizá-la pelo celular e intimaram-na a comparecer à Delegacia, entretanto até o momento ela ainda não apareceu.

Segundo informações de Júnior, um suposto advogado o procurou a fim de oferecer-lhe uma quantia em dinheiro para que ele esquecesse definitivamente o caso. Todavia, ainda de acordo com suas declarações, Junior mandou-o enfiar o dinheiro no "próprio bolso".

Junior registrou o caso na 82ª DP e moverá um processo contra a suposta atropeladora.

0 comentários:

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.