quarta-feira, 27 de março de 2013

Maricá está com epidemia de Dengue, segundo a Secretaria Estadual de Saúde

Das 92 cidades do Rio de Janeiro, 42 estão em epidemia de dengue, de acordo com o boletim divulgado nesta terça-feira pela Secretaria de Estado de Saúde. De 1º de janeiro até as 13h do dia 26 de março foram notificados 69.343 casos de dengue, com três mortes, nas cidades de Magé, Volta Redonda e Itaocara. No mesmo período do ano passado, foram anotados 48.361 casos da doença, com 12 mortos.

Entre os critérios considerados para que um município entre em epidemia da doença está o registro de mais de 300 casos por 100 mil habitantes, curva ascendente de transmissão da doença sustentada por três semanas ou mais consecutivas, e com números acima do limite esperado para a localidade num determinado período de tempo.

No ano passado foram notificados 184.123 casos suspeitos de dengue no Estado, com 42 mortes. Na comparação com 2011, apesar do aumento de 9,34% nas notificações, o número de mortos caiu 70% no mesmo período.

O município do Rio de Janeiro, que não apresenta um quadro de epidemia, informou que a maioria dos criadouros do mosquito Aedes aegypti na cidade está em ambiente doméstico: prato do vaso de planta; caixas d’água, cisternas ou tambores usados como reservatórios de água; piscinas não tratadas; fontes ornamentais; calhas, lajes e toldos; e bebedouros de animais, entre outros.

Os dados são do Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti feito pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. Coletados no período de 10 a 16 de março, eles mostram ainda que o município registra um média de 2,0% de infestação, o que significa que a cada mil imóveis vistoriados pelos agentes de vigilância de saúde, em 20 foram encontrados criadouros do mosquito transmissor da dengue. A secretaria fez este ano cerca de 1,5 milhão de visitas de inspeção a imóveis, e eliminou 218.540 criadouros do Aedes aegypti.

MUNICÍPIOS COM EPIDEMIA DE DENGUE

* Baixada Litorânea: Araruama, Saquarema, Iguaba Grande, Rio das Ostras, Armação de Búzios, Cabo Frio, Casimiro de Abreu e São Pedro D'Aldeia.

* Centro Sul Fluminense: Paracambi, Sapucaia, Comendador Levy Gasparian, Mendes e Três Rios.

* Médio Paraíba: Valença, Pinheiral, Volta Redonda, Barra do Piraí e Rio das Flores

* Noroeste Fluminense: Cardoso Moreira, Miracema, São José de Ubá, Porciúncula, Natividade, Bom Jesus do Itabapoana e Laje do Muriaé.

* Norte Fluminense: São Fidélis, Campos dos Goytacazes, Carapebus, Macaé e São Francisco de Itabapoana.

* Região da Baía da Ilha Grande: Angra dos Reis.

* Região Metropolitana I: Magé.

* Região Metropolitana II: Niterói, Rio Bonito, Itaboraí, Silva Jardim, Tanguá, Maricá e São Gonçalo.

* Região Serrana: Cantagalo, São Sebastião do Alto e São José do Vale do Rio Preto.

Com informações: Agência Brasil

1 comentários:

Anônimo disse...

A muito tempo que Maricá está com epidemia só que muito pouco é registrado em Maricá porque não tem hospital decente para o povo correr para lá, ou seja, muitos vão para Niteroi e principalmente para Itaipú aumentando as estatísticas de lá.
Não é só nessa época, É O ANO TODO. Acabaram com os carros fumaçê que eram usados para passeios particulares. É lamentável!

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.