Médico faz denúncia grave e diz que vereador é quem manda no hospital de Maricá

No início desse mês, nossa redação recebeu uma ligação de um médico revoltado com a demissão de seus colegas do hospital Conde Modesto Leal no dia 26 de fevereiro e, pedindo anonimato, fez uma série de graves denúncias sobre a realidade dos fatos que acontecem há meses naquela unidade. De acordo com suas declarações, o vereador Chiquinho foi quem demitiu todos os médicos através de um funcionário da cooperativa Caaptar, chamado Sandro, que ocupa uma salinha na parte externa do hospital.

Segundo informações, tudo aconteceu na terça-feira (26/2). Naquele dia, após ficarem sabendo sobre a demissão dos três médicos sem nenhum motivo, todos os médicos do plantão pediram demissão em solidariedade aos colegas e o hospital ficou com o seu atendimento paralisado das 13 às 23 horas.

Por volta das  22h,  houve uma reunião no quarto dos médicos, na qual, supostamente, participaram a secretária de Saúde, Dra. Janete Valadão, o diretor do hospital, Wilson Alvarenga, e o próprio vereador Chiquinho, além dos médicos demitidos que, momentos antes, decidiram ir até a 82ª DP denunciar a falta de condições de funcionamento do hospital Conde Modesto Leal, solicitando inclusive o seu fechamento imediato.

Nesta reunião, a Dra. Janete tentou amornar a situação e propôs um acordo no qual todos seriam readmitidos. Todavia, segundo informações, o vereador Chiquinho manteve a sua decisão e o acordo não pode ser cumprido. 

De acordo com informações, os médicos foram demitidos sem nenhum motivo. No entanto, segundo eles próprios, a causa foi porque eles questionaram a falta de condições de atendimento e a precariedade das instalações na unidade.

_ "Para se ter uma ideia do caos que se encontra o hospital, eles fecharam a unidade de transfusão, o aparelho de Raio X está quebrado, não tem lençol nem pra médico nem pra paciente, não tem material cirúrgico esterilizado, não tem roupa para entrar em cirurgia, só tem um aparelho de pressão pra toda a emergência, não tem hemoglicoteste, o consultório clínico não tem porta nem maca, está faltando diazepan injetável, o banheiro dos médicos mais parece um chiqueiro, pois nem tampa o vaso tem, além do calor...aquilo lá está um inferno!", desabafou o médico denunciante.

Vereador pode não ter dito a verdade em entrevista a um repórter

Em entrevista concedida nesta quinta-feira ao repórter Fabiano Novaes do website Maricá Info (Confira o vídeo abaixo), o vereador Chiquinho declarou desconhecer tais demissões e a falta de materiais no hospital, alegando que estava viajando. Porém, esta declaração não condiz com a realidade dos fatos, pois esses acontecimentos foram registrados entre segunda e quarta-feira desta semana, tendo o vereador, comprovadamente, comparecido à sessão plenária da câmara na segunda-feira às 16h. Além disso, há relatos, conforme os parágrafos acima nesta reportagem de que o mesmo participou da reunião no quarto dos médicos, dentro do hospital, às 22h, na terça-feira.



O Itaipuaçu Site está tentando um contato com a secretária de Saúde, Dra. Janete, para saber a sua opinião a respeito de todas essas denúncias. Tão logo tenhamos as suas respostas, as publicaremos.






Previous
Next Post »

24 comentários

Click here for comentários

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião. ConversionConversion EmoticonEmoticon

Thanks for your comment