quinta-feira, 4 de julho de 2013

Análise da luta – Anderson Silva x Chris Weidman – UFC 162

Por William Amaral

No próximo sábado, ocorrerá a esperada volta de Anderson Silva ao octógono mais famoso do mundo. O brasileiro defenderá seu cinturão diante do americano Chris Weidman, pelo UFC 162 em Las Vegas. Sem lutar desde outubro do ano passado, quando massacrou Stephan Bonnar no UFC Rio 3, o Spider volta a seu peso para tentar manter o reinado que dura quase sete anos.

Do outro lado está um jovem americano ávido pelo cinturão. O invicto Chris Weidman vem do wrestling e tem no jogo de solo o seu ponto forte. Atlético, agressivo e com nove vitórias na carreira, ele chega à disputa de cinturão com discurso confiante e prometendo até uma revanche imediata para Anderson.




Trocação:

Uma inesperada joelhada acabou
com Bonnar.
Anderson Silva é apontado por muitos como o melhor trocador do MMA. Se não o é, com certeza é um dos melhores e, certamente, um dos mais letais e imprevisíveis. Domina o Muay Thai, o Boxe e, principalmente, o Taekwondo. Seu vasto arsenal é enriquecido a cada luta, com golpes impressionantes, como o chute frontal sobre Vitor Belfort. O psicológico forte e as provocações aos adversários os tornam ainda mais vulneráveis quando caem na teia do Aranha. Tem impressionantes 20 nocautes na carreira, sobre nomes como o próprio Belfort, Rich Franklin e Forrest Griffin.

Uma cotovelada perfeita foi o
início do fim de Muñoz.
Chris Weidman tem apenas três nocautes na carreira, mas não se pode dizer que foram sobre lutadores fracos. Uriah Hall e o perigoso Mark Muñoz caíram através dos punhos e cotovelos do jovem americano. Por outro lado, Weidman fez uma luta morna contra Demian Maia, vencendo na decisão unânime, um combate todo desenvolvido em pé. Diante do campeão, é provável que o wrestler não se arrisque na trocação.


Quedas:

AS: Em quase todo combate que entra, a defesa de quedas de Anderson é testada. Na primeira luta contra Chael Sonnen, foi reprovada, mas diante de Yushin Okami e na segunda peleja contra Sonnen, foi aprovada e o que se viu foi um apavoramento dos adversários após constatarem que não conseguiriam por o melhor lutador do mundo de costas no chão. Diante de Weidman, excelente wrestler, Anderson pode provar mais uma vez a eficácia de sua defesa de quedas, que é apoiada principalmente na imprevisibilidade de seus golpes.

Derrubar Muñoz credencia Weidman
a quedar qualquer um dos médios.
CW: Um dos melhores wrestler da categoria, Weidman tem na força e na velocidade, dois requisitos importantes para suas quedas. O sólido jogo em pé também o credenciam no momento da aproximação. Ainda não teve problemas para colocar seus adversários no solo. Deve fazer um jogo de aproximação e pressão semelhante ao que Cain Velásquez fez sobre Júnior Cigano.


Chão:

A histórica finalização sobre Sonnen.
AS: Faixa-preta de jiu-jitsu, Anderson treina com grandes lutadores de solo. Para o MMA, dizem que sua guarda é perigosíssima, principalmente pelas cortantes cotoveladas que lança nos adversários. Chael Sonnen provou disso na primeira luta entre eles. Seu adversário tem estilo finalizador e caso a luta vá para o chão, será um duro teste para o campeão, que tem seis finalizações na carreira.
  
O triângulo de mão sobre Lawlor.
CW: Com três finalizações na carreira, o currículo de Weidman não chega a assustar, devido à baixa qualidade dos que se submeteram ao seu jiu-jitsu. Ele é aluno de Matt Serra, que aprendeu com Renzo Gracie, portanto de boa linhagem. Tem um ground and pound poderoso e não foi testado por baixo


Caminho para a vitória:

O jogo psicológico que tem demolido
rivais há anos.
AS: Manter a luta em pé é o caminho para o brasileiro. Tendo sucesso nisso, quebra o psicológico do americano e depois é só fazer o que faz de melhor: aterrorizar o adversário com golpes surpreendentes e fazê-lo desistir. A experiência de 14 disputas de cinturão pode fazer a diferença, uma vez que seu adversário tem somente nove lutas em toda a carreira.

CW: Fazer o tradicional jogo do grappler contra um striker: não se arriscar em pé, colocar para baixo e manter a luta por lá. Contra Anderson, é fundamental que não se frustre caso não tenha sucesso em uma queda. E necessário manter o estilo sem se arriscar muito e sem se desesperar, pois pode acabar como Chael Sonnen: dando um golpe torto e terminando na posição fetal, totalmente entregue.

1 comentários:

Anônimo disse...

Anderson silva entregou a luta!
tem coisa nessa luta!

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.