sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Análise da luta – Ben Henderson x Anthony Pettis 2 – UFC 164


Uma das revanches mais esperadas do MMA acontecerá no próximo sábado em Milwaukee, EUA. Frente a frente, Henderson e Pettis reviverão a última luta do WEC, evento que foi incorporado ao UFC. De lá pra cá, diversos fatores colocaram os dois no mesmo ponto do combate que aconteceu em dezembro de 2010: Showtime como desafiante e Smooth como campeão. Nesse período, Bendo fez sete lutas pelo UFC, venceu todas e conquistou o cinturão da categoria mais disputada do evento em fevereiro de 2012, quando bateu Frankie Egdar. Já Pettis, que esperava uma chance imediata pelo cinturão, teve que aguardar a resolução da trilogia entre Edgar e Maynard e no meio do caminho foi derrotado por Clay Guida, mas vem em ascensão após três vitórias seguidas.

O campeão vem mantendo um ritmo impressionante de lutas (3 em 2011, 3 em 2012 e fará a 2ª em 2013) e há algum tempo revelou o sonho de bater o recorde de defesas de cinturão no UFC, que pertence a Anderson Silva. Nessa jornada, terá que vencer o último homem que o derrotou. A luta de 2010, que foi eleita a melhor daquele ano, quase sempre é tema nas entrevistas de Henderson, que por muitas vezes declarou sonhar com a revanche para apagar a derrota. Apesar do estilo empolgante, Bendo venceu todas as suas lutas no UFC através da decisão dos juízes. De suas três defesas de cinturão, duas foram decisões divididas e ele precisa provar que pode encerrar as lutas antes do tempo.

O inesquecível "Showtime Kick".
O desafiante saiu confiante de que teria o cinturão do UFC logo após entrar no evento, mas ter que esperar a revanche entre Edgar e Maynard atrapalhou seus planos. A derrota para Guida o fez cair no ranking. Logo depois, passou pelo mediano Jeremy Stephens em decisão dividida. Voltou a crescer nocauteando o bom Joe Lauzon. Lesionou-se e voltou em janeiro de 2013 de maneira fulminante, nocauteando o perigosíssimo Donald Cerrone e conquistando a posição de desafiante nº 1 dos leves. Impetuoso, Pettis não quis aguardar a luta entre Henderson e Melendez pelo cinturão dos leves e desafiou José Aldo no peso-pena. Com a luta marcada, Pettis alegou lesão e desistiu do combate. Logo depois, ele assumiu o lugar do lesionado TJ Grant, que enfrentaria Bendo. Anthony agradeceu ao destino e lutará em sua cidade natal pelo cinturão que mais deseja.



Trocação:

Um dos low kicks que
lançou sobre Edgar.
Ben Henderson tem uma boa base em pé. Não costuma se arriscar muito na trocação, mas geralmente sabe onde pisar. Tem bons chutes baixos, que costumam minar as pernas de seus adversários. Usa bem as cotoveladas, tem ótima resistência a golpes e jamais foi nocauteado na carreira, mesmo tendo sofrido o único “Showtime Kick” da história do esporte. Não é provável que aceite a luta em pé com Pettis, utilizando suas habilidades apenas para se aproximar e tentar as quedas.

Cerrone sofreu com a diversidade
dos golpes de Pettis.
Anthony Pettis diz que ninguém na categoria tem condições de trocar com ele. Até agora, ele provou estar certo, tendo batido facilmente Joe Lauzon e Donald Cerrone com nocautes no primeiro round. Tem um estilo único de golpes acrobáticos, tendo acostumado o público a esperar sempre um chute inédito em suas lutas. Não utiliza tanto as mãos, deixando o protagonismo de sua trocação nas pernas. Possui sete nocautes na carreira e alguns dos golpes mais belos da história do MMA.


Quedas:

BH: Com exceção de Frankie Edgar, Bendo levou vantagem neste quesito sobre todos os seus adversários. Diante de Pettis, será o fiel da balança, uma vez que lutar em pé contra o desafiante não parece um bom negócio para o campeão. Smooth gosta de usar o clinch na grade para derrubar. Aproveita o jogo de grade também para desferir cotoveladas e tirar a atenção das quedas.

O sofrimento de Pettis diante das
constantes quedas de Guida.
AP: O “calcanhar de Aquiles” do ex-campeão do WEC é sem dúvida a parte de quedas. Diante de Clay Guida, Pettis não foi capaz de conter o jogo de wrestling do rival e sucumbiu em uma decisão unânime para o cabeludo. Contra Henderson, que também possui longas madeixas, será fundamental resistir às quedas para aplicar seus golpes em pé e conquistar o cinturão.


Chão:

A guilhotina em Cerrone.
BH: Recém graduado à faixa-preta de jiu-jitsu, o grappling é o ponto mais alto do bem nivelado jogo de Bendo. Com um ground and pound violento, ele costuma causar grandes danos a seus adversários, além de se movimentar muito bem nas transições de posição. Apesar de ter sido finalizado uma vez no início da carreira, hoje ele é apontado pelos fãs como “infinalizável”, dada as vezes em que esteve em posições desfavoráveis e conseguiu escapar. Possui seis finalizações no MMA e tem na guilhotina, sua posição mais perigosa, que o digam Donald Cerrone e Jamie Varner.

AP: Pettis tem um jogo bem solto no solo, é perigoso de costas para o chão, abusando dos triângulos. É pouco provável que finalize Henderson, mas sua evolução pode enganar os prognósticos. Diante de Clay Guida, não conseguiu finalizar o adversário, tampouco desamarrar-se da estratégia do rival. Contra Bendo, precisará ser melhor do que foi diante de Guida, para tentar ao menos fazer com que a luta volte de pé. Como se acha o melhor trocador da categoria, não deve tentar batalhar no solo com o campeão.


Caminho para a vitória:

O domínio de Bendo sobre Guida:
gás, Gn'P, técnica e giro.
BH: Espelhar-se na estratégia de Clay Guida contra o próprio Pettis, ou seja, não dar chances do desafiante desenvolver seus golpes em pé, quedar rapidamente e mantê-lo por baixo. Aplicar seu violento ground and pound e aproveitar que possui o melhor gás da categoria para dar bastante giro na luta e, quem sabe, brindar à faixa-preta conquistada há pouco mais de dois meses com uma finalização.

AP: Manter a luta de pé e utilizar sua trocação superior para machucar o campeão. Como nocautear Bendo não é uma tarefa fácil, Pettis deve ter cuidado para não despejar todo seu gás atrás de um nocaute e cansar. Possui bastante confiança e caso evite as primeiras tentativas de queda, tem tudo para frustrar o rival e tornar sua tarefa mais simples.


0 comentários:

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.