quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Fatos novos revelam que pode haver fortes indícios de crime na queda do bimotor em Maricá

A Agência Nacional da Aviação (Anac) vai investigar a ação de carros da prefeitura de Maricá obstruindo a pista do aeroporto local.


Reportagem de Marcelo Bessa - O trágico episódio ocorrido na tarde desta segunda-feira em Maricá, em que, após queda de uma aeronave, resultou na morte do comandante Adelmo Louzada e do juiz de Direito Carlos Alfredo Flores da Cunha, aponta para um provável procedimento criminoso por parte do prefeito e demais autoridades municipais de Maricá.

Veículos da prefeitura são flagrados por fotógrafos no meio
da pista do aeródromo de Maricá. Sobre a imagem, as duas
vítimas do acidente: O piloto Adelmo e o juiz Carlos Alfredo 
De acordo com relatos de testemunhas, desde o fechamento do aeródromo, por decreto do prefeito no dia 11 de setembro, após a queda de uma outra aeronave e a morte do instrutor João Antonio Rodrigues Soares, carros da prefeitura obstruem a pista de pouso e põem em risco as aterrissagens dos pilotos e suas aeronaves.

Nesta terça-feira, em entrevista a uma emissora de TV, o piloto Pablo Eduardo Nóbrega, que havia aterrissado minutos antes do último acidente, afirmou que passou por situação de emergência e também teve que arremeter sua aeronave por causa da presença de carros da prefeitura na pista. "Eu avistei dois carros entrando, não totalmente, mas um pouco na pista. Então, arremeti. Realizei um pouso mais curto para não haver colisão e eles ingressaram na pista atrás de mim. Abordaram, perguntando se eu tinha alguma autorização do Secretário. Aí, falaram que eu não poderia permanecer ali. O Secretário acha que as aeronaves têm que pedir autorização para decolagem e pouso para permanecer. Só que quem faz isso é a Anac", disse o piloto.

Uma outra denúncia também foi feita pelo piloto e instrutor Nilson, de uma das escolas de aviação. Ele conta que no dia 7 de outubro estava fazendo treinamento de toque arremete com um aluno no aeródromo quando alguém entrou na frequência do rádio e informou que a pista estava interditada e se eles continuassem poderiam ser parados a tiros (confira no vídeo abaixo).

Uma outra testemunha, o segurança Augusto Cesar Carvalho, que estava nas proximidades da Lagoa do Marine no dia do acidente, viu tudo. Segundo ele, a aeronave foi até a cabeceira da pista do aeródromo: “O avião foi em direção ao aeroporto, manobrou, subiu de novo e aí surgiu um estrondo no motor. Depois disso, ele deu uma guinada e foi de bico no chão”, contou ele. Nesse mesmo instante, o Sr. Neldir, proprietário de um hangar que faz manutenção nas aeronaves dos aeroclubes ouviu o som do bimotor sobrevoando a pista e, logo depois, em contato com os Bombeiros, soube que o mesmo havia caído.
Clique na imagem para obter melhor visualização

Além dessas testemunhas ainda há um outro depoimento, feito por escrito (confira na imagem ao lado), de um piloto comercial atestando a ação arbitrária da prefeitura na pista do aeródromo.

Segundo o advogado de uma das escolas de pilotos, Dr. Pedro Franco, viaturas da Prefeitura entram na pista a todo momento, colocando em risco os aviões. “Essas informações foram passadas à Anac e ao Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) e até agora nada foi feito.

Vídeo mostra o secretário Lourival Casula com
guardas municipais na pista de pouso do aeródromo
em ação repressiva
O secretário de Desenvolvimento Econômico da cidade, atual responsável pelo aeroporto de Maricá, nega que as viaturas da Guarda Municipal estejam invadindo a pista. "Elas nunca entram. Elas ficam na ponte para não permitir que pedestres ou que pessoas passem para a pista. Ninguém entra na pista", justifica o secretário Lourival Casula. Entretanto, um vídeo veiculado no Youtube e nas redes sociais, mostra o próprio secretário no comando de uma operação de obstrução a uma aeronave de médio porte, um dia antes do 1ª acidente em 11 de setembro (confira no segundo vídeo abaixo).







8 comentários:

Edna Costa disse...

Isso está parecendo coisa de QUADRILHA!!! Desde quando funcionários da Secretaria de Segurança podem andar armados??? A abordagem é similar a de traficantes em morros do Rio de Janeiro... O que é isso??? Até quando essas absurdas arbitrariedades serão permitidas???

Anônimo disse...

O Edna, é melhor vc. se informar melhor sobre as nomeações da pref. tudo consta no JOM, quem é de onde veio e o que vai fazer nome completo matricula o cargo que irá assumir, as arbitrariedades são permitidas por pelo próprio povo q não quer se informar sobre os atos da administração pública.

Anônimo disse...

Isso é Maricá gente. Terra de ninguém, ou melhor quem manda é Quaquá e sua quadrilha. E o povinho só assiste, acomodados e satisfeito.

josé manoel fernandes ventura disse...

É fato que a aviação civil é o transporte mais eficiente e seguro que existe. Isto é fato. Agora, cair duas aeronaves em um curto espaço de tempo o que pode significar? Temos que lembrar que há fortes indícios de má gestão municipal, em especial, no aeródromo municipal. Há imagens de viaturas municipais nas pistas, e isso contribui decisivamente para a insegurança dos vôos. Com a palavra o Ministério Público Federal, ANAC, o Comando da Aeronáutica e, principalmente, o Prefeito de Maricá.

Anônimo disse...

Poe esse secretario em cana junto com o Prefeitinho, ate homicidio qualificado?

Anônimo disse...

Alô MPRJ, onde está vc? Estão matando colega de vcs. Faz alguma coisa contra esse prefeitinho e sua quadrilha de ladrões e assassinos.

Edna Costa disse...

Querido "Anônimo" que citou meu nome EDNA, pergunto:
Desde quando que estar nomeado, com cargo e publicado no JOM dá o direito de cometer CRIMES???

Anônimo disse...

Espero que levantem a 'hipótese" de estar havendo tráfico internacional através do aeroporto, como já é falado pela população que ouve aeroplanos trafegando de madrugada...

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.