segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Flu vence São Paulo no fim e respira

Por William Amaral

Vasco empata, Fogão goleia e Fla perde outra
  
Time de Guerreiros voltou. O Fluminense recebeu o São Paulo e presenteou os mais de 32 mil pagantes com uma vitória emocionante, ao estilo do time campeão de 2012. O Flu começou o jogo pressionando o tricolor paulista, que veio a campo com muitos reservas. Mesmo assim, o São Paulo abriu o placar. Aos 17, João Schmidt tocos de calcanhar para Welliton, que bateu no cantinho de Cavalieri. O gol não abateu o time de Dorival, que empatou aos 24, quando Samuel bateu de muito longe, Denis falhou, a bola acertou a trave e voltou na cabeça de Jean, que só completou para as redes. A pressão seguiu, mas o empate permaneceu até o intervalo. No segundo tempo, o São Paulo se aventurou mais ao ataque e dificultou a vida do Fluminense. O jogo era bastante truncado, com poucas chances. Em uma delas, Sóbis acertou a trave em cobrança de falta. Aos 43, quando o empate parecia certo, Rafael Sóbis cobrou escanteio, Gum subiu mais alto que todo mundo e testou para as redes. Muita vibração e emoção da torcida. O Fluminense chegou a duas vitórias seguidas, está com 42 pontos e ocupa a 15ª posição. A situação ainda é delicada, uma vez que o Coritiba, primeiro time da Zona, tem 41 pontos. O próximo jogo, diante do Santos, na Vila, será de extrema importância.

Empate feio. Precisando de pontos, o Vasco foi ao Pacaembu enfrentar o Corinthians e não conseguiu mais que um 0 a 0, em um dos piores jogos do campeonato. Em um primeiro tempo frio, as duas equipes pouco criaram e os momentos de algum perigo saíram dos pés de Renato Augusto em jogadas individuais. Com uma boa marcação, o Vasco não deixava o Corinthians pensar, já no ataque, erros infantis de passes proporcionaram 45 minutos sem sequer finalizar ao gol corintiano. Na segunda etapa, a sonolência permaneceu em campo e a substituição de Marlone por Thalles acabou com qualquer criatividade que o Vasco poderia ter. A finalização aconteceu aos 30 do segundo tempo e devido ao pouco interesse do time paulista na partida, ficou fácil sair do Pacaembu com os três pontos, mas a falta de qualidade vascaína não permitiu. Foi só, e muito pouco. Com o ponto conquistado, o Vasco foi a 38 e segue em 18º. A próxima partida contra o já campeão Cruzeiro é vital para a permanência na séria A. Uma derrota praticamente crava o rebaixamento, assim como um empate.

Goleada renovadora. Recebendo o Atlético-PR no Maracanã e, mais uma vez, sem a presença maciça da torcida, o Botafogo atropelou o Furacão e se manteve vivo na luta por uma vaga na Libertadores. Em um início de intensa pressão por parte do Fogão, o gol esteve perto em diversas ocasiões, mas só aconteceu aos 27 minutos, quando Renato cruzou, Seedorf escorou de cabeça e Elias mandou um peixinho para o gol. Soberano na partida, o alvinegro não permitiu ao então vice-líder do Brasileirão levar perigo a Jefferson. Aos 34, Rafa Marques acertou o travessão. Dois minutos depois, a zaga do Atlético falhou após bola levantada na área e Hyuri ajeitou para Seedorf concluir para as redes. Comemoração efusiva do time botafoguense. Na segunda etapa, o Furacão cresceu e atacou mais, porém sem grandes sustos para a zaga alvinegra. Aos 25, Rafael Marques acertou a trave. Sete minutos depois, Seedorf cruzou da direita, a bola passou por todo mundo e achou Bruno Mendes, que escorou para o gol e voltou a marcar após um longo jejum. Aos 36, Lima avançou pela esquerda e cruzou rasteiro para Bruno Mendes marcar seu segundo gol no jogo e dar números finais ao jogo. Festa da pequena torcida, que precisava de uma atuação como essa para crescer e ajudar o time de Oswaldo de Oliveira nessa reta final. O Botafogo segue em 5º, mas agora com 57 pontos. O próximo jogo será diante do São Paulo, no Morumbi e é provável que o tricolor paulista use um time de reservas, uma vez que está nas semifinais da Sulamericana.

Derrota esperada. Jogando com um time inteiro de reservas, o Flamengo foi ao Rio Grande do Sul enfrentar o Grêmio e voltou com uma derrota na bagagem. Desentrosado, o time rubro-negro se limitou a marcar o Grêmio e apostou suas fichas ofensivas no pouco inspirado Bruninho. O time da casa, que tinha a posse da bola e jogava no campo ofensivo, pouco conseguia criar. E a primeira grande chance foi do Mengão. Nixon foi lançado, saiu na cara de Dida e chegou a driblar o goleiro, mas preferiu se atirar no gramado abdicando da finalização. O árbitro não foi na dele e o jogo seguiu. Aos 37, após bate rebate na área, Kleber chutou, Barcos desviou e a bola ia entrando, quando João Paulo chegou para tirar em cima da linha. Na segunda etapa, o panorama era o mesmo até que Maxi Rodriguez entrou na vaga de Riveros, aos 9. Cinco minutos depois, o uruguaio abriu o placar. Em jogada individual pela direita, ele passou no meio de três flamenguistas e bateu no cantinho de Paulo Victor. Golaço. Logo após o gol marcado, Renato Gaúcho recuou o time, fazendo com que o Flamengo passasse a gostar da partida. Aos 40, veio o castigo. João Paulo recebeu pela esquerda, trouxe para o meio e bateu. A bola desviou em Nixon e enganou Dida, que só assistiu a festa rubro-negra. Restava ao Grêmio ir para o tudo ou nada. E foi tudo: aos 43, Maxi Rodriguez recebeu pelo meio, deu lindo drible em Rafinha e bateu colocado, no ângulo do adiantada Paulo Victor. Mais um golaço do uruguaio e festa da torcida gaúcha. Foi só. O Flamengo permanece com 45 pontos e está a apenas 4 da Zona de Rebaixamento. O time rubro-negro deve tomar cuidado para que a euforia pela final da Copa do Brasil não acabe em tristeza no Brasileirão. Basta uma vitória nos últimos três jogos.

UFC. Rolou neste sábado o UFC 167. Na luta principal o canadense Georges St. Pierre manteve o título dos meio-médios em vitória na decisão dividida sobre o americano Johnny Hendricks. O resultado foi contestado por todo mundo e uma revanche deve acontecer nos próximos meses. No Co-Main Event, Chael Sonnen foi atropelado pelo compatriota e amigo, Rashad Evans, ainda no primeiro round e voltou com mais uma mancha de nocaute no cartel. Único brasileiro presente no evento, Thales Leites venceu o americano Ed Herman na decisão unânime dos jurados. O UFC comemorou os 20 anos de existência e várias celebridades foram vistas na platéia do MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas, onde aconteceu o show.

0 comentários:

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.