segunda-feira, 12 de maio de 2014

Maricá: Secretária de Educação 'pediu' pra sair, segundo o site da prefeitura

Política - A secretária municipal de Educação, Marta de Mello Quinan, foi exonerada no último dia 6, mas segundo informações, ela própria teria pedido para deixar o cargo por motivos pessoais. No entanto, ao que parece, as coisas continuarão na mesma dentro daquela secretaria, pois sua ex-subsecretária Adriana Luiza da Costa foi nomeada titular da pasta em seu lugar.

Em pouco tempo, já é segunda secretária de pastas importantes a pedir exoneração. A primeira foi a da Saúde. O curioso é que, tanto a Saúde quanto a Educação, vivem um caos em suas administrações nesses quase seis anos de gestão do prefeito Washington Quaquá (PT) e sua "trupe".

De acordo com dados, além de não haver escolas de ensino médio e nem universidades no município, nenhuma nova unidade de ensino fundamental foi construída e muito poucas vagas foram criadas. Algumas escolas sofreram reformas, mas os problemas continuam. A administração da ex-secretária foi muito conturbada, em virtude da sua ligação matrimonial com o ex-secretário e atual vice-prefeito Marcos Ribeiro, em que algumas denúncias vieram à tona durante o período de sua gestão entre as quais o escandaloso não repasse de uma verba do FUNDEB destinada a uma creche comunitária de Itaipuaçu (veja a reportagem aqui), cujo contrato fora assinado pelo seu marido, quando o mesmo ainda era o titular da pasta. Além do mais, conforme denúncias e informações, desde o início deste ano letivo, os alunos ainda estão sem livros e uniformes. O Kit escolar chegou com atraso e muitos pais tiveram que efetuar a compra junto ao comércio local. Ainda de acordo com informações, em várias ocasiões não houve entrega e recarga dos cartões de transporte, as crianças ficam sem a merenda e alguns professores faltam às aulas com bastante frequência.

Na Saúde, a situação é bem parecida, porém um pouco pior. Além do hospital continuar sem condições de atendimento, nenhum posto de saúde foi construído ou inaugurado, apesar dos recursos provindos do Ministério da Saúde. O projeto do tão sonhado novo hospital, denominado Che Guevara, anunciado em época de campanha eleitoral pelo prefeito, ainda nem saiu do papel. Enquanto isso, sob toda essa calamidade, a prefeitura anuncia gastos astronômicos para a contratação de artistas famosos em shows de comemoração pela cidade, em consonância com tal política do "Pão e Circo" do prefeito Quaquá.

Dança das cadeiras

Outros secretários também foram exonerados de seus cargos no mês de abril, entre os quais, Laura Maria Vieira da Costa, da Secretaria de Assistência Social, e Fabiano Filho, da Assuntos Federativos, cuja pasta, aliás, fora extinta. Todavia, ambos foram reaproveitados, sendo nomeados para outros cargos. A ex-secretária Laura Maria virou subsecretária na mesma pasta, enquanto que Fabiano assumiu a coordenação de comunicação na Ouvidoria Municipal. Rosana Horta, esposa do presidente da câmara Fabiano Horta, foi exonerada da titularidade da pasta de Emprego e Trabalho. Max Aguiar Alves, então secretário de Administração também foi exonerado. Para o seu lugar foi nomeada a subsecretária Tayna de Almeida Machado.

Nepotismos

Após a reeleição do prefeito Quaquá em outubro de 2011,  seguindo o curso natural, o vereador mais votado, Aldair de Linda (PPL) seria o novo presidente da casa de leis. Entretanto, o prefeito, através de supostos acordos com a maioria dos vereadores, acabou por convencê-los a eleger Fabiano Horta como novo presidente da Casa. Mas antes, porém, supostos casos de nepotismo já eram fatos na administração pública municipal. Rosana Horta, esposa do então vereador Fabiano Horta já era titular da pasta na secretaria de Emprego e Trabalho. Outra situação, também não menos vergonhosa, foi a nomeação da esposa do vereador Adelso Pereira, Shirlene de Barros Diniz, como secretária de Energia e Iluminação Pública, no lugar do marido. O ex-vereador Jorge Castor, que foi nomeado secretário e posteriormente remanejado para a Ouvidoria do município, desde a gestão passada tem sua esposa, Laura Maria Vieira da Costa, como secretária de Assistência Social. Marta de Mello Quinan, esposa do ex- secretário e vereador, atual vice-prefeito Marcos Ribeiro, também assumiu o lugar do marido na Secretaria de Educação, e assim por diante. Todas elas recebendo salário de R$ 12 mil por mês.

Para os que não têm esposa ou por quaisquer outros motivos e interesses maiores, houve outros tipos de compensação, como por exemplo o vereador Chiquinho que ganhou a Upa para utilizar de 'cabide de emprego' para os seus eleitores e posteriormente o hospital municipal. Sem contar o outro 'cabidão' que é a coleta de lixo, etc.

Fique por dentro de outras notícias de Itaipuaçu e de Maricá no Facebook:


Acesse também, com mais rapidez, o Itaipuaçu Site no seu smartphone (baixe aqui o app gratuitamente)





4 comentários:

Anônimo disse...

O asfaltamento em bairros onde o prefeito tem interesses imobiliários vai muito bem!

Anônimo disse...

EM ITAIPUAÇU, O ASFALTAMENTO E ETC, VAI MUITO MAL. ELE NÃO TEM INTERESSE IMOBILIÁRIO, INCLUSIVE SE MANDOU DO LOCAL ONDE MORAVA.

Anônimo disse...

Só consegue nomeação para secretarias quem são esposas,mas, comenta-se que Tayna de Almeida Machado é amante doSr, Max Aguiar, quer dizer, trocaram 6 por meia duzia, continua tudo a mesma coisa.

Anônimo disse...

Sinceramente não me interessa quem dorme com quem. O que eu quero saber é se o eleitor de Maricá já entendeu que este canalha que governa só faz o que é de seu interesse pessoal e econômico.

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.