sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Saudades do macaco Tião

Duendes, Papai Noel & Urna Eletrônica


Artigo :: Maurício Pássaro - Hoje em dia, qual a melhor maneira de se fazer pagamento numa transação comercial? Dinheiro em espécie? Não, é perigoso para quem leva no bolso (ou na bolsa, como foi o caso da Tintim, Maria Christina Mascarenhas, do Guimas, Baixo Gávea, assassinada em via pública, à luz do sol). Talão de cheque? É arriscado para o comerciante. O melhor meio: as maquininhas de crédito e débito; a via eletrônica é a saída mais prática.

Mas, o usuário do cartão não está livre de ser prejudicado virtualmente. Por ser um recurso magnético, o cartão vem sendo clonado em fundos de quintais, qualquer adolescente candidato a hacker está capacitado para a falsificação. Manipular senhas e logins, para os amadores, pode parecer coisa do outro mundo, mas para os especialistas da área é coisa deste mundo mesmo, tão fácil quanto tirar o doce de uma criança. A inteligência americana descobriu que na Rússia há uma gangue que manipula milhões de senhas mundo afora...

Talvez seja por isso que os EUA prefiram as cédulas de papel, na hora das eleições. O raciocínio parece plausível: é mais difícil manipular urnas físicas, que exige espaço, movimentação de vários agentes, pois se expõe ao público, do que alterar a contabilidade de votos num pequeno escritório silencioso, diante de um computador, fora da vista de testemunhas. Hackers entram em sistemas da NASA... Por que aqui, no Brasil, a segurança cibernética seria melhor, maior? Ademais, acho que a grande razão para o uso da urna eletrônica nem seja uma armação, manipulação dos votos, artifício contra a vergonha, ou a falta da.

Em 1988, numa eleição a prefeito, 400 mil eleitores votaram no Macaco Tião, que não era candidato, mas morador de uma das jaulas do zoológico do Rio. O voto expressivo no macaco foi clara expressão de protesto. As cédulas eram de papel, e parte da população aproveitou para se manifestar, à moda carioca, com bastante irreverência. Outros candidatos inusitados apareceram durante a apuração: palavrões, recados ao poder público. Hoje essa maneira de protestar foi banida com o advento da urna eletrônica. Fico imaginando o que nós escreveríamos agora ali, se tivéssemos oportunidade...

Se as eleições fossem com cédulas de papel, que palavrão você escreveria?

Você já viu o filme Planeta dos Macacos?

mauriciopassaro.blogspot.com.br





0 comentários:

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.