terça-feira, 30 de setembro de 2014

Bancários entram em greve a partir desta terça-feira, em todo o Brasil

Não houve acordo e teve início na manhã de hoje a greve nacional dos bancários. Na oitava rodada de negociação da Campanha 2014, realizada sábado em São Paulo, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou proposta de reajuste de 7,35%, rejeitada pelos bancários.

De acordo com o Sindicato dos Bancários de Niterói, a proposta ignora completamente as reivindicações sobre emprego, condições de trabalho, principalmente metas abusivas e assédio moral, segurança e igualdade de oportunidades. Por isso, os bancários já indicaram pela rejeição da proposta. A categoria se reuniu em assembleia ontem para organizar a greve.

“A proposta está muito aquém do que a categoria busca e muito longe do que os bancos podem oferecer aos bancários. Nos últimos anos os lucros dos banqueiros foram enormes ultrapassando cifras milionárias. Não é justo que os bancários que carregam as instituições financeiras nas costas não sejam valorizados. Queremos um reajuste maior e o atendimento das cláusulas sociais. Devemos rejeitar a proposta dos banqueiros e ir à greve no dia 30 com todas as agências da base de abrangência do Sindicato de Niterói fechadas”, afirmou Fabiano Júnior, presidente do Sindicato dos Bancários de Niterói e região.

O calendário fora aprovado anteriormente e a greve será tempo indeterminado.

A Fenaban confirmou sua última proposta, realizada no último sábado, de reajuste de 7,35% a ser aplicado nos salários. Para o piso da categoria, os valores propostos para a convenção coletiva 2014/2015 equivalem a um reajuste de 8%, chegando a R$ 2.403,60 para o caixa, por jornada de 6 horas/dia - após 90 dias de emprego. Nos dois casos está assegurado novo aumento real (acima da inflação).

Texto: Aline Balbino (A Tribuna)





0 comentários:

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.