quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Prefeitura retira barracas e quiosques da Praça do Barroco, no centro de Itaipuaçu

Na manhã desta quinta-feira (15), caminhões da Prefeitura de Maricá retiraram todas as barracas e quiosques de comerciantes ambulantes da Praça do Barroco, onde também funciona o DPO local, no centro de Itaipuaçu. Segundo a prefeitura, a ocupação na praça era irregular. Todo material retirado foi levado para o pátio da Secretaria de Obras, no bairro do Caxito.

Os comerciantes, donos das barracas, atuavam no local há pelo menos três anos, sempre à noite, e nunca foram incomodados pelas autoridades municipais. Muitos deles alegam que possuem autorização da prefeitura para trabalhar na praça, naquele horário.

Outras praças públicas de Itaipuaçu também estão tomadas por quiosques, entre as quais a Praça dos Gaviões, no final da Avenida Zumbi dos Palmares (antiga Avenida 1) e a praça conhecida como "Praça do Top Sabor", ao lado da agropecuária Ramires, entre os bairros Costa Verde e São Bento da Lagoa, ambas intáctas.

A Praça do Barroco antes da desocupação dos quiosques
(Reportagem e Fotos: Marcelo Bessa)

Fato (nota do editor)

A prefeitura, visando as eleições de outubro passado, na qual concorreram a mulher do prefeito Quaquá, Rosângela Zeidan, e o então vereador braço direito dele na câmara, Fabiano Horta, ambos do mesmo partido, PT, em momento algum incomodou os referidos ambulantes. Inclusive, vale ressaltar que o próprio comitê de campanha dos petistas ficava bem em frente à praça. Porém, hoje, segundo informações, sem nenhum aviso prévio, os quiosques foram retirados "na marra". Essa é a maneira de agir do nosso "odioso" prefeito. Ele autoriza, depois desautoriza. Concede alvarás e depois os cassa. Ah, coronel...





3 comentários:

Anônimo disse...

Essa é uma das notícias que mais me causaram decepção desde que acompanho o site. As barracas do Barroco já fazem parte da cultura local. Tenho casa em Itaipuaçu e um dos maiores prazeres da minha vida é comer nessa praça, seja nas barraquinhas instaladas ali próximas ao DPO, ou nas lanchonetes ao redor. Isso quer dizer que vou ficar sem aquele cachorro quente delicioso da barraquinha, isso quer dizer que a barraquinha do chinês que vende Iak soba tbm vai ficar só como lenda para contar para nossos filhos. Essas barraquinhas nos dão muita alegria. Já me diverti muito comendo nessas barraquinhas na Praça do Barroco com minha familia. Ver a alegria de uma criança falar: "Eu comi iak soba na barraca do chinês", ou ficar na fila para comer um delicioso cachorro quente, um assaí, um hamburguer, bata frita, batata recheada, tudo isso acabou vái ficar no passado? Tou com ódio de qm inventou essa merda de tirar as barracas dali da praça do Barroco, essas barracas fazem parte da minha vida, da minha história, adoro comer nelas com amigos e familiares. Tou com muito ódio disso. É sério, me sinto de luto, é como se arrancassem um pedaço da gente que frequenta Itaipuaçu, a praça do Barroco. Q decepção! Se esses sujeitos que tiraram as barracas dali soubessem a desgraça eles fazem nos corações de quem frequenta essa praça e Itaipuaçu eles não fariam isso. Não pretendo voltar em Itaipuaçu depois disso, essa notícia é muito ruim e vai cortar meu coração ver aqla praça sem as barracas. Maricá é mesmo uma decepção!!!! Tou com muita raiva, q notícia horrível!

Anônimo disse...

Que prefeitura é essa? Dei a notícia para minha mãe agora, e ela ficou chocada e arrasada, afinal alí em um ponto de encontro de familias e amigos que vão para a praça degustar tbm as delícias das barracas. É muita decepção com essa cidade que ao envés de fazer coisas para melhorar, faz para piorar.

Isabel Viso disse...

O que esperar desse mau caráter, louco, como todos os safados que compõem essa Organização Criminosa, que um dia se intitulou Partido dos Trabalhadores?

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.