quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Maricá: Moradores do 'Minha Casa Minha Vida' de Inoã entram na justiça contra Prefeitura, Sertenge e Cedae

MARCELO BESSA :: ITAIPUAÇU SITE - Apartamentos sem janelas, vazamentos, rachaduras, falta de água, trincos que não funcionam e por aí vai.

Vinte dias após a entrega de 1460 novas unidades habitacionais, algumas famílias afirmam ter recebido apartamentos do programa 'Minha Casa Minha Vida' do Residencial Carlos Alberto Soares de Freitas, no bairro de Inoã, em Maricá (RJ), incompletos e apresentando problemas de qualidade por causa de “vícios construtivos” que dificultam ou mesmo inviabilizam o uso pleno da moradia pelo beneficiário.

Segundo moradores, os imóveis estão sem água e a alternativa é carregar balde de água, contratar caminhão-pipa ou ir até a casa de parentes e amigos para tomar banho.

Moradores informam ainda que o representante da empresa Sertenge – responsável pelas obras – não dá nenhuma atenção às suas reclamações e reivindicações sobre os problemas detectados.

Com prestações que variam entre R$ 25 e R$ 80 reais, cada apartamento foi avaliado individualmente em R$ 62 mil reais. Os dois empreendimentos construídos no município (Itaipuaçu e Inoã) tiveram um investimento total de R$ 190 milhões.

Suposto desvio

Devido à falta de janelas, alguns moradores improvisaram
molduras com plástico para proteger a área de serviço
(Foto: Robson Giorno)
Das 1460 unidades, cerca de 90% dos imóveis foram entregues sem as janelas da cozinha e área de serviço (apenas as unidades térreas possuem todas as janelas). Alguns moradores já se anteciparam e compraram as janelas no mercado ao custo aproximado de R$ 300 cada. A estimativa é de que, supostamente, houve um desvio de verba na ordem de R$ 1.800 milhões por parte dos "empreendedores".

Justiça

Em virtude dos descasos apresentados, várias ações tramitam na justiça. Cerca de 50 moradores deram entrada, individualmente, no Juizado Especial Cível contra a construtora Sertenge - responsável pela obra - por danos morais e materiais. De acordo com o cidadão Robson Giorno, que disponibilizou seu escritório e advogados para tocar as ações, os beneficiários passaram por diversos constrangimentos devido aos atrasos e adiamentos da entrega. Com isso, vários outros problemas foram gerados, entre os quais o recebimento de duas contas de luz acumuladas, cortes de energia, etc.

Em outra vertente, na semana passada, devido à falta de água, os moradores deram entrada em uma Ação Popular (Processo nº 0048695-52.2015.8.19.0002) composta de 400 assinaturas, na 2ª Vara Cível, aos cuidados do juiz Fabio Porto, que já mandou intimar e citar os réus, Prefeitura e Cedae.












3 comentários:

Anônimo disse...

Justiça? No Brasil, em Maricá? No Brasil é tudo feito nas cochas, imediatismo é o que conta. Moro no Flamengo e estou sem água já faz um ano, e o interessante é que está sendo concluído um enorme conjunto de prédios e apartamentos de luxo com quatro andares na Av. Roberto Silveira com Ari Espindola. De onde virá a água para abastecer este conjunto residencial? Quem autorizou este mega empreendimento (Para os padrões de Maricá). Se quando os novos moradores começarem a chegar a água aparecer, gostaria de saber qual foi o milagre, ou melhor, quem fez o milagre.

Lael Lael disse...

Engraçado, pra inaugurar com palanque, presidenta e prefeito eles vieram e fizeram a maior propaganda, claro, coloca na mídia um grande feito, só pra inglês ver, então não desse o aval para o povo entrar nas casas, que era o esperado, agora a prefeitura quer jogar pra cima da empresa, ela então não liberasse o habite-se (será que liberou????) haaaa, mas tem que fazer propaganda, senão o povo não vota...... V E R G O N H A.....

Rayne Cardoso disse...

Tem gente morando em inoã no Carlos Alberto Soares de Freitas, (MCMV)que não é beneficiário,é parentes e estão fazendo badernas,som alto a noite toda,o Setor C.Bloco 10,é o mas prejudicado, uma vistoria para saber se é o morador ou não.

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.