quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Em Maricá, Secretaria de Saúde fez pouco caso com paciente renal crônico

Paulo Henrique numa seção de hemodiálise
O cidadão e motorista de van do município de Maricá, Paulo Henrique Xavier Coelho Nascimento, de 39 anos, morador de Itaipuaçu, conhecido como 'PH', está há quase um mês internado no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, na Ilha do Fundão, no Rio, a espera de uma transferência para uma clínica especializada.

Paulo Henrique perdeu seu rim, que era transplantado havia 10 anos, e dependia de um encaminhamento para uma clínica de hemodiálise via município de Maricá. Entretanto, segundo ele, a Secretaria Municipal de Saúde agiu com descaso ao não abrir o e-mail de solicitação de encaminhamento enviado pela direção do hospital do Fundão, onde encontra-se internado desde o dia 27 de janeiro.

PH que, além de motorista, também trabalha como "DJ" em boates e casas noturnas de Maricá, é muito conhecido na região e é amigo pessoal do músico e editor do ITAIPUAÇU SITE, Marcelo Bessa. Em uma breve conversa com o amigo ao celular na manhã desta quinta-feira (18), Paulo Henrique desabafou:

"O que acontece é o seguinte: eu perdi o meu rim que era transplantado há 10 anos e voltei a fazer hemodiálise. Acontece que eu dei entrada dia 27 de janeiro aqui no Fundão e desde então venho fazendo minhas seções de hemodiálise 3 vezes por semana aqui no hospital. E, por estar fazendo aqui não posso sair, pois aqui só pode fazer as seções quem estiver internado. O Fundão, por sua vez, no último dia 4, enviou um e-mail para a secretaria de saúde de Maricá para que a mesma possa proceder com a minha transferência para uma clínica de hemodiálise mais próxima do meu município, já que em Maricá não existe clínica para esse tipo de tratamento. Porém, até o início desta semana, após 15 dias, ninguém na secretaria sequer abriu o e-mail de encaminhamento ao meu processo. Na última segunda-feira tive de ir pessoalmente até a secretaria de saúde e questionei sobre todo esse descaso. Uma funcionária de nome Aline me atendeu e explicou que o e-mail não foi aberto por causa dos dias de paralisação do carnaval. Segundo ela me garantiu, naquele momento ela estaria enviando o e-mail para a Secretaria de Saúde do Estado e a partir daquele momento o município de Maricá deixava de ser responsável pelo meu caso. "Agora só depende do Estado", disse ela. Passados já 4 dias ainda não obtive nenhuma resposta. Por isso continuo internado aqui".

De acordo com Secretaria de Saúde de Maricá, o e-mail foi encaminhado para o órgão estadual e o mesmo passa a ser o responsável direto pelo prosseguimento do caso do paciente.




4 comentários:

João Bopp disse...

Onde se lê: "A partir de agora o governo estadual é o responsável pelo caso". Leia-se: Que se dane você apesar de morador de Maricá, que paga seus impostos em Maricá e as vezes parece que eles esquecem, eleitor em Maricá. Boa sorte PH, tmj.

ISMÊ Santos disse...

Essa é a cara do nosso município. É descaso total na saúde, educação, etc... Aqui não temos nenhum hospital. Temos apenas um nome Modesto Conde Leal!

Anônimo disse...

O que importa é que a família do pato está bem. Tem os melhores hospitais particulares, segurança 24 horas, viagens pelo mundo afora, transporte gratuito (O pato não anda de vermelhinho, anda de carro com ar condicionado e motorista), dinheiro não é problema. Afinal o pato tem que estar bem para cuidar do seu povo.

Katia Barboza disse...

Vou torcer para o secretário de saúde precise do atendimento médico c urgência, como aconteceu com o secretário executivo do prefeito QUÁQUÁ, QUE VEIO A FALECER POR NEGLIGÊNCIA COM A SAÚDE!!!

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.