segunda-feira, 21 de março de 2016

Eleitores maricaenses procuram deputado

O pré-candidato a prefeito de Maricá, Fabiano Horta, do PT, escolhido pelo atual prefeito Quaquá para ser seu sucessor, está mais sumido do que nunca. Da última vez em que ele foi visto circulando pelas ruas da cidade, foi pedindo votos e prometendo ser o futuro representante de Maricá na Câmara Federal em Brasília.

Porém, depois de eleito, traiu a confiança dos seus eleitores trocando a vaga na Câmara Federal por uma secretaria no município do Rio.

Por esta razão, um grupo de internautas na rede social Facebook iniciou uma campanha para encontrar o suposto "deputado traidor". Segundo os internautas, tal dívida precisa ser paga junto ao povo de Maricá. Os organizadores da campanha já confeccionaram um "flyer" (foto) e pedem a todos que compartilhem na rede até que Horta seja encontrado.

É obvio que isso é apenas mais uma brincadeira. Os autores da sátira são os membros do grupo "Maricaos", do Facebook.

Entenda o caso

Fabiano Horta, ex-presidente da Câmara Legislativa de Maricá, favorecido pela máquina pública nas últimas eleições, elegeu-se Deputado Federal. Após tomar posse, foi para Brasília. Entretanto, três meses depois, numa escabrosa operação montada pelo ex-presidente Lula, teve que abrir mão de sua vaga para o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Wadih Damous.

Apesar do constrangimento causado na bancada federal do PT, o seu "padrinho", prefeito de Maricá e presidente do partido no Rio, Washington Quaquá, tentou fazer pressão para que um dos deputados assumisse uma secretaria na administração Eduardo Paes. Mas, diante das negativas, a última aposta era o então deputado Fabiano Horta.

Segundo petistas, a avaliação de Lula era que a bancada do PT carecia de quadros com formação jurídica para enfrentar a operação Lava-Jato, que, naquele momento investigava o esquema de corrupção na Petrobras.

Quaquá tentou de todas as formas manter seu "afilhado" no cargo, mas não teve jeito. No final teve de baixar a cabeça para o "grande chefe" e a manobra foi concretizada. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, acabou trocando o então secretário municipal de Desenvolvimento Econômico Solidário, Vinícius Assumpção, pelo deputado novato do PT, Fabiano Horta.

Recentemente, através de um "grampo" realizado por agentes da Polícia Federal no celular do ex-presidente Lula - com autorização da justiça, foi divulgada uma conversa entre o ex-presidente e Eduardo Paes, na qual o prefeito do Rio menciona Maricá como sendo uma "merda de cidade". O efeito na mídia e nas redes sociais foi instantâneo e devastador. O povo maricaense ficou revoltado. Já o prefeito de Maricá, Quaquá, malandro, a bordo de um avião indo ou voltando sabe-se lá de onde ou pra onde, divulgou um "self" vídeo informando que Paes havia lhe telefonado para pedir desculpas.

"Ele me ligou pra pedir desculpas e como somos educados eu aceitei", disse Quaquá (Lembrando que há poucas semanas o mesmo "educado" Quaquá havia mandado o governador Pezão "tomar no cú").

Apesar de ter causado indignação na população de Maricá que até agora ainda não esqueceu e nem perdoou as ofensas do prefeito do Rio, Quaquá acabou dando uma sobrevida para Fabiano Horta no seu cargo junto à Prefeitura do Rio.



2 comentários:

Anônimo disse...

Procura-se prefeito, deputado, vereador, chefe de gabinete, secretário e etc, paga-se bem sem precisar fazer nada, é só enrolar o povo. Serviço fácil.

btu clipping disse...

na ultima vez que ele foi visto e sobre uma foto com o dito lider revol!!!!!!!!!
em CANNES na France ele estava acompanhendo a deputada penetra as custos do povo Maricaense que ainda nao estao completamente en ordem apos as lembanças de tal nas enchentes

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.