A covardia contra Marcelo

Walter Monteiro / Editorial - A frustração desencadeia uma série de dúvidas e a mente precisa encontrar respostas ou criar “bodes expiatórios” para se aquietar. Para alguns, o resultado da vitória apertada de Quaquá aconteceu, primeiro, pela falta de fiscalização nas bocas de urnas e, segundo, no acerto originado no Palácio Guanabara, para derrubar o DEM e o PR. Há muito tempo o PMDB já sabia que Rica
rdo iria perder e elaborava um ardil para impedir a vitória de Marcelo e Maricá não se tornar mais uma cidade nas mãos de Garotinho, principal concorrente ao PMDB, nas eleições de 2014.


Fontes “de pé-de-ouvido” afirmam que esse acordo é real, que houve reuniões entre Quaquá, Ricardo, Castor e Carolino e uma das cláusulas seria Ricardo se manter até o final, em troca de compensações nas prestações de serviço ao estado e município por sua firma de engenharia, só que isso ninguém pode provar.
Quanto a Carolino não se sabe qual vantagem levaria, mas cego pelo rancor, talvez não tenha aceitado nada, já que impedir a eleição de Marcelo, seria o melhor de todas as recompensas. Prova disso foi à campana feita ontem, no reduto principal de Marcelo na Boca Maldita, pelo grupo do PDT e PMDB, formando o “coral chororô”, perto do maior reduto de votos da cidade: o CIEP.
Como bom advogado, Júlio usou a oratória como estivesse no tribunal e, como um sagaz promotor, apresentou provas incorretas como verdadeiras de que Marcelo era o principal culpado da queda de Ricardo, nas pesquisas.
Passaram grande parte do dia ali convencendo as pessoas de que Marcelo Delaroli era o pior candidato para Maricá e, isso feito com tanto ódio, que suplantou o outro ódio por Quaquá, quando divulgou no jornal “outras palavras”, o escândalo do irmão para liquidar a imagem da família e de seu pai Carolino, principal adversário político do prefeito.
Marcelo foi cercado e praticamente lutou sozinho: pela frente seu principal adversário munido da máquina municipal e ajudado pela União, com apoio disfarçado de Cabral. Na retaguarda surgiu Ricardo firme no propósito de se manter candidato e enganou os incautos com vitória, quando muitos do PMDB queriam votar em Marcelo e derrubar Quaquá e, com isso, prestou um verdadeiro desserviço à sociedade.
E finalmente, pelas laterais vieram sorrateiramente Hélcio Ângelo e Tiãozinho, sem explicações plausíveis mantiveram suas candidaturas e retiraram votos importantíssimos de Marcelo. Visto de cima se percebe a grande luta que Marcelo enfrentou e a mais triste: à tamanha covardia de primos e do tio postiço que, por vaidade ou interesses maiores, tiraram das mãos de uma sociedade produtiva e organizada a mudança tão esperada com vitória de Marcelo.
Enfim, a única coisa que não tiraram foi o reconhecimento de Marcelo ser o maior político de Maricá, um líder que nasce de cem em cem anos e o futuro vai mostrar até aonde esse rapaz poderá chegar.



Previous
Next Post »

8 comentários

Click here for comentários

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião. ConversionConversion EmoticonEmoticon

Thanks for your comment