quarta-feira, 24 de outubro de 2012

O dia em que o povo de Maricá pediu a cassação de Ricardo Queiroz

Edição Histórica - Ao apagar das luzes no ano de 2001, denúncias gravíssimas provocaram o protocolo de um pedido para abertura de uma CPI na Câmara Municipal de Maricá contra o então prefeito da cidade, Ricardo Queiroz, que estava no segundo ano de seu primeiro mandato à frente do Executivo. Na Câmara, Paulo Maurício era o presidente e os demais vereadores eram: Tatái, Alberto da Maricaense, Bubute, Marcinho da Empresa, Jorge Castor, Regina Muniz, Darci Ribeiro, Bidi, Gilson e Pravadelli. Desses onze vereadores, nove eram da base governista, inclusive o presidente Paulo Maurício. Somente os vereadores Pravadelli e Gilson atuavam, de fato, em oposição ao governo. Assim, o prefeito Ricardo Queiroz, acobertado pela maioria dos vereadores, fazia o que queria, criando decretos para legitimar as suas supostas falcatruas relativas às gratificações dos funcionários, bem como às inúmeras suspeitas de licitações fraudulentas, infringindo em várias ocasiões a lei orgânica do município realizando diversos pagamentos a servidores municipais sem critério e respaldo jurídico. Por isso, após tantas denúncias, deu entrada no protocolo da câmara, em 20 de novembro de 2001, uma denúncia apresentando fatos relevantes a uma abertura de CPI para, inclusive, cassar o então prefeito do cargo.

O povo impedido de assistir a
sessão aguarda do lado de fora
No dia 22, dia da sessão marcada para a votação da matéria referente à CPI o que se viu, segundo análises e comentários na imprensa em geral, foi uma violência ao estado de direito. Antes do início da sessão, aconteceu uma reunião suspeita entre os vereadores da base e o advogado ligado ao governador Garotinho, na época aliado de Ricardo, Dr.Antonio Oliboni, ex-secretário estadual de Justiça, envolvido no escândalo da Brasal, empresa cujo contrato para fornecimento de quentinhas a penitenciárias foi prorrogado sem licitação, mas essa é uma outra história...(clique aqui para saber). Logo após a reunião, em entrevista a um repórter de um veículo da imprensa local, Oliboni declarou que era amigo do prefeito Ricardo Queiroz havia muito tempo e que estava ali para dar-lhe ajuda no que fosse preciso. Minutos antes da abertura da sessão, sentou-se no plenário, tal qual um sentinela, atento a todos os acontecimentos, levantando-se tão somente quando ouviu do presidente Paulo Maurício a declaração do arquivamento das denúncias, cujo resultado contrário à CPI obteve maioria absoluta de votos.

Guardas a mando do
presidente da câmara e
do prefeito impedem o
acesso do povo à sessão
O que causou estranheza foi que, na sessão anterior, no dia 20, Paulo Maurício havia declarado, peremptoriamente, que seria a favor da denúncia, ressaltando que o governo não teria nada a esconder.

Funcionários da prefeitura
lotaram o plenário horas antes
Outro fato interessante, e que é preciso sublinhar, foi a proibição do acesso ao público naquela sessão. Muito antes do horário previsto, o prefeito Ricardo Queiroz, estrategicamente, lotou as dependências do plenário com os seus funcionários. Quando os populares chegaram,  encontraram dois guardas plantados na porta, especificamente, com a função de barrar-lhes a entrada.
Paulo Maurício sai sorridente
e vai pro bar comemorar a
vitória da impunidade
O povo, do lado de fora, só soube do resultado da votação quando viu o presidente da câmara, Paulo Maurício, seguido de alguns vereadores da base, sair do prédio da câmara sorridente, adentrando no bar ao lado para comemorar a vitória da impunidade. Os demais vereadores, talvez envergonhados, refugiaram-se por algum tempo na sacada da câmara, assistindo, de cima, a revolta do povo.
Vereadores no bar ao lado da câmara bebendo e comemorando

Veja, abaixo, a manchete e a reportagem do site Território Livre sobre os vereadores que votaram contra a apuração das denúncias:

ELES SÃO CONTRA A VERDADE !!!!!!

Vereador Márcio José Pinheiro eleito pelo PPB com 498 votos. Um vereador novo na Câmara Municipal que ficou contra o povo de Maricá ao votar a favor do Governo pelo arquivamento das denúncias sobre administração do Prefeito Ricardo Queiroz, conhecido como "Marcinho da Empresa"

Vereador Alcebiades Machado Filho eleito pelo PFL com 767 votos, uma votação expressiva para uma atuação inexpressiva, até agora não mostrou para que foi eleito, na saída da Câmara Municipal de Maricá foi fortemente vaiado pelo povo que estava presente. Conhecido como "Bide"

Com o telefone, o vereador Jorge Luiz Cordeiro da Costa, eleito pelo PV/PTB/PST/ o mais votado com 991 votos, hoje esta na relação dos vereadores que tem uma grande rejeição do povo de Maricá por ser líder do executivo e ter traído a confiança do povo que o elegeu, conhecido como "Castor"

Vereador Alberto Farias da Fonseca, eleito pelo PT do B teve 702 votos, nunca tomou partido em favor do povo, como conseguiu se reeleger só Deus sabe, nunca usou o plenário para fazer uma declaração, um vereador descompromissado com a verdade, conhecido como "Alberto da Maricaense"
Vereadora Regina do Nascimento Muniz, eleita pelo PPB com 624 votos, uma decepção para o sexo feminino, diferente de sua colega, a vereadora Elizabeth Brasil, que saiu da Câmara Municipal de Maricá sob aplausos do povo por sua atuação em defesa da verdade e da moralidade. O mais lamentável é que a vereadora Regina é proprietária de um colégio em Maricá, e sua atitude não foi um bom exemplo para seus alunos.

Vereador e o atual Presidente do Poder Legislativo de Maricá Paulo Maurício Duarte Carvalho, eleito pelo PDT/ PRP, com 539 votos, entrará para a história política de Maricá como o Presidente que agiu em vários momentos como um DITADOR agredindo e escondendo documentos, mentindo para favorecer o Executivo, uma vergonha para muitos que depositaram nele uma esperança de mudanças para Maricá.

Vereador Ademilton da Silva Diniz, eleito pelo PSC/PSDB/ com 444 votos, fazendo parte da safra nova de vereadores e sem muita experiência se deixou levar pelos que têm interesse de se esconder da verdade, praticamente encerrou sua carreira política traindo a confiança do povo, nunca pediu a palavra para ser expressar em plenário, um vereador sem compromisso com a verdade, conhecido como,"TATAI" .

Vereador Darci Ribeiro eleito pelo PPB com 446 votos, outro daqueles milagres que só Deus é quem sabe, reeleito, nunca esteve do lado do povo, sempre se escondeu nas sombras do Executivo, nunca subiu no plenário para fazer uma declaração ou defender um projeto, longe de ser o que determina a constituição que é defender o direito do povo.

Vereador Adailton Pereira da Costa, eleito pelo PMDB, com 531 votos, sua decisão seria ficar contra as denúncias, já que ele ficou no governo passado do lado do povo contra a administração do ex-Prefeito Luciano Rangel, nunca usou o plenário, quem observa seu comportamento nota que é um vereador compromissado com ele próprio, não com os interesses do povo. Conhecido também como "BUBUTE" .



Artigo: Marcelo Bessa
Fotos: Território Livre





3 comentários:

Anônimo disse...

Bidi é um pau mandato,não sabe ser oposição.Não vamos esquecer quando os filhos foram presos pq compraram carro roubado.Quero ve a nova namorada de Cleber que era oposição,agora diz que não quer mais se pronunciar,situação disfaçada.

Anônimo disse...

A eleição já acabou, infelizmente entrou quem não devia, mas o seu, espero, não entrará também se depender de mim.

Anônimo disse...

É a mesma panelinha de sempre...estamos todos ferrados!

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.