terça-feira, 1 de abril de 2014

Audiência pública sobre emissário do esgoto de Maricá acontece nesta quarta-feira

Reportagem :: Marcelo Bessa

Uma audiência pública que terá como tema a implantação do 'Emissário Terrestre e Submarino para Transporte de Efluentes Domésticos', será realizada na noite desta quarta-feira (02) na casa de festas Palladon, no bairro do Flamengo, em Maricá.

Foto: Reprodução / Divulgação
Na realidade, o tema, para fácil entendimento da sociedade, trata-se do esgoto dos bairros do Centro, Araçatiba, Mumbuca e parte de Itapeba que será lançado no mar na altura da praia da Barra de Maricá, depois de passar por uma suposta estação de tratamento.

De acordo com o projeto inicial, estão previstos 13 km de rede de saneamento e a construção de um emissário terrestre nos quais serão investidos R$ 60 milhões, custeados pelo Governo do Estado e pela Petrobrás.

Com uma rede de saneamento básico muito precária, o município de Maricá recebeu uma proposta que, teoricamente, beneficiaria e muito a sua população. No entanto, a realidade parece ser outra. A falta de clareza nas informações em uma outra audiência pública realizada no mesmo local, em agosto do ano passado, intitulada "Pacto de Saneamento" deixou a sociedade civil bastante confusa sobre as obras que, supostamente, já haviam começado no município. De acordo com Flávia Lanari, na ocasião coordenadora geral do Subcomitê do complexo lagunar Maricá-Guarapina, faltou transparência e debate popular sobre as decisões tomadas pelo poder público em parceria com a Petrobras.

- Tudo está muito nebuloso, porque ninguém sabe ao certo para que são essas obras. E faltam explicações de todos os lados. Através do Comitê da Baía de Guanabara, fizemos algumas recomendações sobre esses projetos e enviamos para o governo. Uma sabemos que foi seguida, mas, no que diz respeito a todas as outras, nunca recebemos nenhum tipo de resposta, declarou.

Os investimentos de fato são difíceis de decifrar. O projeto será custeado pela Petrobras, já que faz parte da contrapartida por conta da instalação do emissário do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que está sendo construído em Itaboraí e passará por Maricá, cujos efluentes químicos serão despejados no mar de Itaipuaçu. No entanto, também foram anunciados mais R$33 milhões para o saneamento, dessa vez com recursos do governo federal, liberados através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). O objetivo seria construir uma nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) no bairro Parque Eldorado e redes de coleta em bairros como Ubatiba, Retiro e Jacaroá.

Sem saber ao certo se as melhorias virão, Maricá continua sofrendo com uma rede de saneamento básico extremamente precária. Os números oficiais apontam que menos de 10% das residências do centro de Maricá possuem tratamento de esgoto adequado. Segundo dados, antes do Centro ultrapassar os 100 mil habitantes, o esgoto tratado não passava de 5% do total. O número de habitantes cresceu muito, mas o serviço não mudou, tornando a situação ainda pior.

A audiência pública desta quarta-feira (2), no Paladon, começa às 19h.

Confira também: Pacto de saneamento foi uma farsa. Cabral e Quaquá nem compareceram





8 comentários:

Anônimo disse...

Vai ser como o projeto de despoluição da Baia de Guanabara. O dinheiro desaparece e o esgoto continua a céu aberto.

Edna Costa disse...

Lamentável que ainda se utilizem desses meios pra resolver esgoto nesse país. Porque não transformar o esgoto em água limpa para que seja utilizada pela própria cidade que tem sérios problemas de falta de água potável???
Enquanto isso Maricá está marcando audiência pública pra usar o mesmo e velho sistema nefasto de jogar esgoto no mar.
Vejam este link, tecnologia já bem conhecida da CEDAE
http://www.mundosustentavel.com.br/2012/09/companhias-transformam-esgoto-em-agua-limpa/

Brubarbosa disse...

Sem contar que nso sabem o impacto que havera na vida marinha com o despejo de detritos do comperj isso impactara na vida dos pescadores tbm lastimavel

Anônimo disse...

O mais estranho, é que uma empresa que participou de Licitação junto à Prefeitura de Maricá, PROC. 18/2014, para fazer o Estudo de Saneamento de Maricá, de nome CONEN CONSULTORIA, aonde trabalha uma Engenheira que mora em Maricá, e que ataca sistematicamente o governo maricaense, eque já se filiou ao PC do B, partido da base de apoio ao governo do PT, que disse que viria a disputar uma vaga à Deputada Estadual, agora fique calada, pois o seu objetivo maior já foi alcançado e os meios de comunicação, como os que existem em Maricá, e uma rádio de um dono só que se diz comunitária, NADA FALARAM. O DITADO POPULAR É CERTO "" FARINHA POUCA, MEU PIRÃO PRIMEIRO"

Duarte Nuno Silva disse...

Com certeza o anônimo acima como sempre, ficou sentado confortavelmente em casa e não esteve presente na audiência ontem dia 02.04.2014 para ouvir o que a Eng. Ana Paula falou sobre este assunto. São pessoas como estas que não se identificam e prejulgam todos os demais por aquilo que elas mesmas são que fazem o Brasil ser a Latrina é. Se tiver oportunidade deveria ler a carta que ela protocolou e estará disponibilizando ao público.

Edna Costa disse...

É O QUE TEMOS PARA O MOMENTO...
Nossa Manifestação do Luto Por Maicá em sua vertente feminina Mulheres Por Maricá durante a audiência pública realizada no dia de ontem.
Vejam a íntegra do nosso manifesto e críticas a audiência pública.
https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/v/t34.0-12/10151548_743293382378314_147896824_n.jpg?oh=3d8ae7393e4dc5529480e242fe42f75b&oe=533FEEE1&__gda__=1396681623_371d9c1e2258c901b7bb21222fda143e

Anônimo disse...

Verdade seja dita que quando escrevi o comentário sobre a Ana Paula e a empresa onde ela trabalha esperava uma atitude como a descrevi, mas preciso me retratar e dizer que me surpreendeu com a atitude de defender Maricá mesmo colocando o emprego em risco. Quanto ao O DITADO POPULAR É CERTO "" FARINHA POUCA, MEU PIRÃO PRIMEIRO", retiro o que disse e peço minhas sinceras desculpas!

Katia Albuquerque disse...

Boa tarde, pena ser um ANÔNIMO. Poderia conhecer mais de perto o trabalho, a(as) pessoa(s), o conjunto.
Ouvir a Rádio Sideral todo primeiro domingo, o programa Sala de Visitas, a partir das 12h, onde ocorre um bate papo super esclarecedor e descontraído, com convidados que falam com muita propriedade sobre o que acontece na cidade de Maricá, comandado pela UBM Maricá/Mulheres Por Maricá; acompanhar as postagens de denúncias ao MP, a Justiça, enfim, conhecer mais para depois emitir críticas fundamentas. Nessa esfera de atividades, mostramos nossas atitudes de cidadania e que a Radio Sideral não é feita por um homem só e saberia que a suposta engenheira de Maricá e as demais membros não muda sua postura. Não fazemos politicagem.

Postar um comentário

ITAIPUAÇU SITE - MÍDIA LIVRE E OFICIAL DE NOTÍCIAS DE MARICÁ - O Itaipuaçu Site reserva o direito de não publicar comentários anônimos ou de conteúdo duvidoso. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a nossa opinião.